União Brasil oficializa candidatura de Capitão Wagner para o Governo do Ceará - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





sexta-feira, 5 de agosto de 2022

União Brasil oficializa candidatura de Capitão Wagner para o Governo do Ceará


O União Brasil oficializa, na manhã desta sexta-feira (5), a candidatura do deputado federal Capitão Wagner ao Governo do Estado. A homologação ocorre em convenção partidária, realizada no campus da Unifametro, no Centro de Fortaleza, com a participação de lideranças do PL. A sigla deve indicar o candidato a vice ainda hoje.


Na ocasião, o União também homologa chapas de deputados federais e estaduais. Apesar de integrar a aliança partidária em prol de Capitão Wagner, o PL vai realizar a sua convenção de forma separada, nesta sexta, às 16h, no ginásio de uma escola no Eusébio.


Até agora, estão no páreo para o pleito de outubro no Estado: Capitão Wagner (União Brasil); o deputado estadual Elmano de Freitas (PT); o ex-prefeito Roberto Cláudio (PDT); Serley Leal (Unidade Popular); e Zé Batista (PSTU).


Assim como as candidaturas do cabeças das chapas, todos os vices também devem ser homologados até esta sexta-feira.


ALIANÇAS


A última semana foi uma verdadeira montanha-russa para as costuras políticas em torno da candidatura de Capitão Wagner no Ceará, marcada por um "perde-ganha" e vai e volta de partidos. O primeiro revés nas alianças construídas foi com o Solidariedade, que recuou do apoio a Wagner para fazer palanque para Elmano de Freitas e para o ex-governador Camilo Santana (PT) no Estado.


Nacionalmente, a legenda está alinhada à candidatura do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), mas vinha adotando postura diferente em alguns estados, como era o caso no Ceará. No entanto, o acordo firmado pelo presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força (SP), com Wagner em julho foi desfeito após cortejos do ex-governador Camilo Santana e articulações a nível nacional.


Ainda na mesma semana, mudanças no comando nacional do Pros estremeceram a posição da legenda no Ceará, inclusive com substituições na direção local. De um dia para o outro, o partido retirou o apoio ao deputado federal para também se coligar a Elmano e Camilo, mas teve a decisão revertida na Justiça e voltou à aliança com Capitão Wagner.


Diário do Nordeste