PM preso por roubar R$ 600 e celular em Fortaleza já respondia por tentativa de estupro - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





sexta-feira, 29 de julho de 2022

PM preso por roubar R$ 600 e celular em Fortaleza já respondia por tentativa de estupro



Um soldado da Polícia Militar do Ceará (PMCE), preso em flagrante por roubar R$ 600 e um aparelho celular de um entregador de comidas por aplicativo no bairro Benfica, em Fortaleza, na noite da última quarta-feira (27), já responde por tentativa de estupro.


Conforme documentos obtidos pelo Diário do Nordeste, o PM Luiz Fernando Nascimento Moura, de 34 anos, responde a um crime sexual tentado, desde março de 2018. O processo criminal tramita sob sigilo de Justiça na Vara Única Criminal de Canindé.


Luiz Fernando está afastado das funções policiais há mais de um ano, em razão de uma Licença para Tratamento de Saúde (LTS), segundo a Corporação.


POLICIAL FOI DESMENTIDO POR VÍTIMA E TESTEMUNHAS


O PM foi preso em flagrante por suspeita de roubo, na última quarta (27). Ao ser parado por colegas de farda que atendiam uma denúncia de assalto, ele teria se passado por testemunha do crime.


Conforme um documento que a reportagem teve acesso, Luiz Fernando disse a um dos policiais militares ainda no local da ocorrência que estava de LTS e trabalhava com um serviço de transporte e entrega em motocicleta, quando atendeu um cliente que pediu para ir ao bairro Benfica. Ao chegar ao local, o suposto passageiro anunciou um assalto, e uma pessoa interveio, momento em que o militar teria sido baleado por engano.


Entretanto, testemunhas e a vítima do assalto (um entregador de comidas por aplicativo) chegaram ao local, negaram a versão contada pelo policial militar e o apontaram como um dos assaltantes - sendo inclusive o passageiro que tinha puxado a arma de fogo.


O assalto aconteceu nas proximidades da Avenida Senador Pompeu. Um segurança de um colégio particular teria atirado contra os suspeitos.


Luiz Fernando Moura foi levado à DAI, onde foi autuado em flagrante por roubo e preferiu não prestar depoimento. A arma utilizada por ele, um revólver calibre 38, com 17 munições intactas, foi apreendida.


Diário do Nordeste