Após rusgas entre Camilo e Ciro, presidente do PDT diz que petista é "nosso pré-candidato ao Senado" - Revista Camocim

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Super promoção "Matrícula Premiada" do Colégio Future.

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Colégio Future com matrículas abertas para 2023

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







terça-feira, 12 de julho de 2022

Após rusgas entre Camilo e Ciro, presidente do PDT diz que petista é "nosso pré-candidato ao Senado"


O presidente estadual do PDT Ceará, deputado federal André Figueiredo, defendeu que o pré-candidato ao Senado apoiado pelo partido continua a ser o ex-governador Camilo Santana (PT). Na semana passada, o petista e o ex-ministro Ciro Gomes (PDT) tiveram queda de braço, na qual Ciro chegou a cogitar que Camilo seria um "ex-aliado".


"Deveremos ter, como nosso pré-candidato ao Senado, o ex-governador Camilo Santana", ressaltou Figueiredo. "Esperamos que essa unidade permaneça". 


A declaração foi feita em coletiva de imprensa após reunião entre deputados federais e estaduais do PDT e com a presença de Ciro Gomes, na manhã desta segunda-feira (11). O presidenciável não fez comentários sobre o ex-governador na saída do encontro. 


Segundo Figueiredo, o objetivo é buscar o ex-governador Camilo Santana ainda nesta semana para conversar sobre a sucessão estadual e para "encontrar um caminho que proporcione que a unidade desse projeto não dê margem a retrocessos". O encontro ocorreria antes do dia 18 de julho, data da reunião que irá que irá deliberar sobre qual pré-candidatura do PDT será escolhida para concorrer ao Palácio da Abolição. 


O deputado federal disse ainda que o diálogo entre as lideranças do PDT no Estado e o ex-governador é "permanente". 


"Nosso companheiro Ciro têm conversado, todos têm conversado com Camilo, mas sempre numa perspectiva de que diálogo não pode ser uma imposição unilateral. Tem que ter a compreensão de ouvir as partes e realmente compreender qual o melhor caminho para o Ceará", ressaltou. 


ATRITO ENTRE LIDERANÇAS


O aumento das tensões na aliança governista ocorre com o crescimento do acirramento entre os nomes da governadora Izolda Cela (PDT) e do ex-prefeito de Fortaleza Roberto Cláudio (PDT) na disputa para ser o candidato à sucessão estadual. 


Na última semana, Ciro indicou não ter certeza se Camilo continuava a ser um aliado no Ceará. "Era nosso aliado, ou é nosso aliado. Ainda não sei direito como é que vai desdobrar isso lá", ressaltou. 


"Lula é tão irresponsável que está lá se acertando com Eunício e já pegou o governador de lá - já prometeu que vai ser ministro - que era nosso aliado, ou é nosso aliado. Ainda não sei direito como é que vai desdobrar isso lá. Está lá a confusão danada produzida pelo Lula", disse Ciro ao Avesso Podcast.


Horas depois, Camilo fez publicação na qual coloca como "questão de justiça" a indicação de Izolda Cela como pré-candidata do PDT ao Palácio da Abolição. 


"Defender que seja dado à governadora Izolda Cela, do PDT, o direito a buscar a reeleição, por sua seriedade e competência, é questão de justiça", escreveu o petista nas redes sociais.


O ex-governador tem sido o principal fiador da pré-candidatura da atual governadora do Ceará à reeleição. Partidos aliados, incluindo o PT, tem pressionado o PDT para que ela seja a indicada do partido. Por outro lado, Ciro já demonstrou preferência pelo nome de Roberto Cláudio no início do ano, embora não tenha mais feito defesas incisivas da pré-candidatura do ex-prefeito. 


Diário do Nordeste