Menina é atropelada por carro alegórico e perde perna após desfile na Sapucaí, no Rio - Revista Camocim



Clique na imagem e conheça os produtos






Para mais mais informações, clique na imagem





quinta-feira, 21 de abril de 2022

Menina é atropelada por carro alegórico e perde perna após desfile na Sapucaí, no Rio



Uma menina de 11 anos ficou gravemente ferida após acidente com um carro alegórico no Rio de Janeiro (RJ) nessa quarta-feira (20). Após subir em um veículo da escola de samba Em Cima da Hora, a criança perdeu uma das pernas, sofreu traumatismo no tórax e teve uma parada cardíaca. Atualmente, ela está em estado grave.


Testemunhas relataram ao portal G1 que mãe e filha estavam se alimentando em uma praça no Estácio, nas proximidades do Sambódromo da Marquês de Sapucaí. A criança teria se afastado com dois amigos para ver alguns carros alegóricos que estavam passando pelo local.


Momentos depois, a mãe foi avisada de que a menina fora atropelada por um carro alegórico e espremida contra um poste. Grávida, a mulher desmaiou após ter conhecimento de que as duas pernas da filha ficaram dilaceradas na ocorrência.


A vítima foi levada para o posto médico da Sapucaí, mas transferida para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no Centro, em seguida. Lá, a mãe relatou que a criança subira no veículo ainda parado, mas ficou presa num poste após movimentação do carro.


ESTADO DE SAÚDE


A criança foi levada para o centro cirúrgico da unidade, onde permanecia pelo menos até por volta das 7h30 desta quinta (21) com a outra perna em situação crítica. A Secretaria Municipal de Saúde afirmou à publicação que o estado da criança é grave.


A escola Em Cima da Hora informou, em nota ao G1, estar "apurando com a Liga o que aconteceu". "No momento, não iremos dar nenhuma declaração", salientou a assessoria.


ATRASOS


A perícia da Polícia Civil no local do acidente provocou atraso de mais de uma hora nos desfiles da Série Ouro da Sapucaí, entre as escolas Acadêmicos do Cubango e Unidos da Ponte. Em consequência da interdição da via, não haveria como realizar escoamento dos integrantes das agremiações após os desfiles.


Diário do Nordeste