Pâmella Holanda, ex-esposa de DJ Ivis, filia-se ao PL Ceará e pode disputar eleições de 2022 - Revista Camocim

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!

Colégio Marujo, 15 anos! Na rota da educação!
Clique na imagem

Contato: (88)9 9937-1998

Contato: (88)9 9937-1998

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos







segunda-feira, 21 de março de 2022

Pâmella Holanda, ex-esposa de DJ Ivis, filia-se ao PL Ceará e pode disputar eleições de 2022



A digital influencer Pâmella Holanda, ex-esposa do produtor musical DJ Ivis, vítima de violência doméstica em 2021, se filiou ao Partido Liberal nesta segunda-feira (21) e poderá disputar as eleições de 2022.


O anúncio foi feito pelo partido, nas redes sociais. Na foto, Pâmella aparece ao lado do deputado federal Junior Mano e do presidente do PL Ceará e prefeito do Eusébio, Acilon Gonçalves.


"O PL Ceará recebeu nesta segunda-feira (21/03) a filiação da digital influencer Pâmella Holanda, que disponibiliza seu nome para ser candidata nas eleições de 2022 pelo partido. Dessa forma, o PL Ceará segue fortalecido tanto para dispta eleitoral como para exercer a defesa constante e firme dos direitos da mulher", diz nota do partido.


REPERCUSSÃO NACIONAL DE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA


Em julho de 2021, a violência sofrida por Pâmella pelo ex-marido, ganhou repercussão nacional após vídeos das agressões cometidas por ele contra Pâmella serem divulgadas nas redes sociais.


Dias depois, DJ Ivis foi preso em um condomínio de luxo no município de Aquiraz. Em outubro, a Justiça concedeu liberdade ao cantor. Ele é investigado por lesão corporal no âmbito da violência doméstica e familiar.


Em quatro vídeos gravados pelo circuito interno de câmeras do apartamento do casal, o produtor musical aparece, na sala e no quarto do bebê, agredindo a companheira. Em um dos arquivos divulgados, um homem assiste à agressão, mas não interfere.


Em outro momento, a agressão acontece na presença da babá e da filha do casal. Pamela ainda publicou imagens de ferimentos na boca.


POLÍTICA


Antes de entrar na política, Pâmella já havia manifestado o interesse de transformar o sofrimento pelo qual passou "em algo bom".


"Como alguém que vivenciou isso, entendo os sentimentos, as dúvidas, tudo. Acho que é justo da minha parte, e também das pessoas que estão ao redor trabalhando, que a gente retribua, faça realmente acontecer algo bom, não esmoreça, que fortaleça outras mulheres", disse, no ano passado, em suas redes sociais.


Diário do Nordeste