Mulher sofre aborto após péssimo atendimento dos hospitais de Barroquinha e Camocim - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos








terça-feira, 8 de fevereiro de 2022

Mulher sofre aborto após péssimo atendimento dos hospitais de Barroquinha e Camocim

Gestante foi bem atendida em Granja. Esposo, revoltado com Camocim e Barroquinha, disse: “parem com o lixo da politicagem e tenham responsabilidade com as vidas alheias”



Jean Augusto, morador de Barroquinha, relatou em suas redes sociais o drama que passou com sua esposa gestante, na última sexta-feira (04), diante da falta de atendimento com qualidade nos hospitais de Barroquinha e Camocim.  


“Na sexta-feira, minha mulher começou a sentir desconforto, dores no pé-da-barriga e de imediato levei ela na UBS aqui do bairro da Cabeça, chegando lá, dei de cara somente com uma recepcionista, ou seja: zero Médico e zero enfermeira”, disse Jean Augusto, que após a frustração na Unidade Básica de saúde levou sua companheira para o hospital municipal.


“Chegando lá [no hospital de Barroquinha], o médico simplesmente só anotou no papel o que ela tava sentindo, passou um remédio para ela na veia, e falou que, quando acabasse o medicamento ela poderia ir para casa e esperar. Se ela colocasse uma bola de sangue, ela tinha abortado, se não, tudo bem!”, diz o relato do esposo que questionou: “como pode? Minha mulher com 5 semanas de gravidez, sangrando, já desde da sexta-feira e ele [médico] simplesmente só passou um remédio, nem se quer examinou ela?”.


A transferência da gestante para atendimento no hospital de Camocim só ocorreu após cobrança da vereadora Cléria, acionada pelo esposo da gestante.


Confia AQUI e abaixo o restante do relato:


“Chegando lá[em Camocim], a máquina de ultrassom não estava funcionando. O médico que examinou ela, falou que ela tava com começo de hemorragia. Minha mulher tomou o medicamento e voltamos para casa, para fazermos o retorno na segunda-feira.


[Em Barroquinha]Chegando no hospital, minha mulher ainda sangrando muito, a enfermeira ligou pro hospital de Camocim e lá falaram que o equipamento estava queimado, fiquei preocupado e com medo de ela perder o bebê, sem resultado nenhum, tanto do hospital de Barroquinha, quanto no hospital de Camocim, liguei para Cléria novamente, e  ela me levou até Granja”.


Resumindo, busquei ajuda no hospital de Barroquinha, para uma transferência para Camocim, só consegui por conta da Cléria.


Que hospital é esse, que só vai à base da pressão? 


Alguns funcionários levando sempre pro lado político, onde tá profissionalismo? 


Era uma gestante que tava ali, precisando dos devidos cuidados e atendimentos do hospital. Que administração é essa, que só faz algo na base da pressão? 


PORRA, ERA UMA VIDA QUE TAVA EM JOGO, ERA MEU FILHO(a).


Consequência:

— minha mulher não recebeu os cuidados necessários.

 — vi falta de comprometimento.

— a ajuda que veio foi de pessoas que eu menos esperava.

 — só consegui receber os cuidados legais no hospital de granja, por ajuda da Vereadora Cléria  e Vereador David Júnior.


E diante disso, minha mulher perdeu o bebê.


Porra, até quando essa desrespeito com os pacientes vai?


A Única coisa que o Hospital de Barroquinha tem é Nome, SOMENTE.


Não estou culpando o hospital de Barroquinha pelo que aconteceu, mas poxa, MELHOREM O ATENDIMENTO, SEJAM MAIS EFICAZ, TOMEM OS DEVIDOS CUIDADOS COM OS PACIENTES, QUEM VAI PARA AI, SÃO PESSOAS QUE PRECISAM DA AJUDA DE VOCÊS, SÃO HUMANOS.


PAREM COM O LIXO DE POLITICAGEM QUE SUGAM VOCÊS, TENHA MAIS RESPONSABILIDADES COM VIDAS ALHEIAS”.