Juiz determina prisão preventiva de PM e pede investigação da conduta de policiais civis e militares - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos








segunda-feira, 7 de fevereiro de 2022

Juiz determina prisão preventiva de PM e pede investigação da conduta de policiais civis e militares



O juiz de direito Hugo Gutparakis de Miranda converteu em preventiva a prisão em flagrante do policial George Tarick de Vasconcelos Ferreira, para, segundo o magistrado, “a garantia da ordem pública”. 


Na decisão, o juiz considerou que “se encontra evidente a periculosidade concreta da conduta do policial, já que o mesmo teria efetuado diversos disparos de arma de fogo contra a vítima desarmada, algemada e dentro da delegacia de polícia, denotando total desprezo a ordem pública e paz social”.


Ainda conforme o Juiz Hugo Gutparakis, “a liberdade do agente põe em risco a ordem pública”, pois “verifica-se pela forma de execução do delito que o autuado é violento, o que demonstra, por si só, a periculosidade do mesmo, que em liberdade poderia novamente atentar contra a ordem pública”.


Corregedoria investigará conduta de policiais.


Tendo em vista que o crime ocorreu dentro da Delegacia de Polícia, onde a vítima estava custodiada, o Juiz expediu ofício a Corregedoria da Polícia Civil e Militar para apurar as condutas dos policiais que estavam no local.


O Policial matou a tiros de pistola o jovem Mateus Cruz, de 19 anos, na madrugada do último domingo (06), na Delegacia Regional de Polícia Civil de Camocim.


O caso ganhou repercussão nacional, divulgado pelos principais veículos de comunicação do Brasil, inclusive no programa Fantástico da Rede Globo. 


Carlos Jardel