Jaime Veras mente sobre corte no fornecimento da Internet da prefeitura - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os cursos preparatórios e apoio educacional


Clique na imagem e conheça os produtos




Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733

Barraca Mergulhe: Contato/WhatsApp: (88) 9 9260 4733





quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022

Jaime Veras mente sobre corte no fornecimento da Internet da prefeitura

"Foi 4 meses sem pagamento, sem contrato e sem preocupação em realizar uma licitação séria por parte da prefeitura"



Ao jogar a culpa para cima da empresa Font Net, de propriedade do jovem empresário Lailson Fontenele, o  leviano prefeito de Barroquinha, Jaime Veras, mentiu descaradamente em sua live, na noite de ontem (02), ao falar sobre o corte no fornecimento da Internet da prefeitura. Dentre algumas mentiras,  o prefeito disse que o município não devia nada a empresa! 


Reforço: Jaime mentiu! Sendo desmentido pelo irmão do empresário, Lairlo Fontenele, que, sem cambalear, se manifestou publicamente em seu perfil no Instagram.


“Quero deixar claro que o ocorrido da internet veio depois de 4 meses sem pagamento, sem contrato e sem preocupação em realizar uma licitação séria por parte da Prefeitura de Barroquinha e se não fosse pela paciência e complacência desse grande empresário, esse problema já teria acontecido bem mais cedo”. 


Ou seja, a prefeitura não pagou o serviço durante 04 meses, o que significa dizer que, mesmo sem pagamento, a empresa, em respeito aos órgãos municipais, prestou o serviço por 04 meses.  


Ainda no texto, o irmão do empresário, disse  que o prefeito se utilizou de má-fé, “conforme suas conveniências para iludir os mais leigos, que não conhecem os trâmites de um contrato público”. E que a tentativa de culpar seu irmão “pelas ingerências da atual administração comprova o quanto esta gestão encontra-se despreparada e mal intencionada para governar”. 


Não restam dúvidas que além do não pagamento, a prefeitura também usou de expedientes irresponsáveis no que diz respeito ao processo licitatório e contratual do serviço, caso contrário,  Lairlo Fontenele não teria descrito com firmeza: “sem pagamento, sem contrato e sem preocupação em realizar uma licitação séria”.


Conforme o ditado popular: "quem fala assim não tem rabo preso"


Confira 



Carlos Jardel