ACARAÚ-CE: Jogadora de futebol morre em hospital com suspeita de estupro coletivo - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os produtos

Clique na imagem e faça agora sua pré-inscrição. Vagas limitadas!


Para mais mais informações, clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem
R.General Tibúrcio, vizinho à Academia de Letras, Centro.Telefone: (88) 9 9422 2120.









quinta-feira, 6 de janeiro de 2022

ACARAÚ-CE: Jogadora de futebol morre em hospital com suspeita de estupro coletivo



O laudo da Perícia deve definir a causa da morte e auxiliará nas investigações. Maria Érica deu entrada no hospital em estado grave, com um sangramento. Na região as pessoas falam em estupro coletivo


A Polícia Civil investiga as circunstâncias da morte da jogadora de futebol Maria Érica Alves Messias, de 26 anos, registrada na última segunda-feira, 3, em unidade hospitalar de Sobral. Natural de Itarema, ela morava em Santa Catarina e veio ao Ceará passar as festas do fim do ano. Érica foi jogadora de futebol do clube Fênix, de Itarema. 


Um familiar de Érica, que pediu para não ser identificada, relatou que ela foi para uma festa em Acaraú e, no dia seguinte, precisou de atendimento médico. A Santa Casa de Sobral informou que a paciente deu entrada com sangramento transvaginal intenso. O estado dela se agravou, foi entubada e morreu. A Secretaria da Segurança Pública informou que a Polícia Civil de Itarema apura as circunstâncias da morte. 


Conforme informações registradas em Boletim de Ocorrência, a vítima, uma mulher de 26 anos, foi socorrida por familiares, após apresentar um forte sangramento, no domingo, 2. De acordo com as primeiras informações colhidas por diligências realizadas pela Polícia Militar, a diretoria do hospital informou que naquele momento não havia indícios de crime sexual, por isso, a unidade hospitalar não teria acionado a polícia. 


O B. O foi registrado na Delegacia Regional de Sobral e transferido para a Delegacia Municipal de Itarema, que apura o caso. A Polícia Civil aguarda o laudo da Perícia Forense do Estado do Ceará (Pefoce), que auxiliará nas investigações. A principal suspeita é de estupro coletivo. 


O POVO