Esposas de vereadores da oposição de Meruoca recebem cargos comissionados na prefeitura de Camocim - Revista Camocim

















quinta-feira, 7 de outubro de 2021

Esposas de vereadores da oposição de Meruoca recebem cargos comissionados na prefeitura de Camocim

 Moradores de Meruoca afirmam que as duas comissionadas nunca deram um dia de expediente na Secretaria da Educação de Camocim




Os vereadores  Mardônio Cavalcante e Thiago Marques,  do PDT de Meruoca, emplacaram suas esposas em cargos comissionados na prefeitura de Camocim. Maria Edileuza Silva Alcântaras, esposa de Mardônio, foi nomeada no dia 1º de Janeiro de 2021 como Superientende de Educação do Governo Betinha, com o salário de  de R$ 2.583,00.  Já a esposa do vereador Tiago, Maria José Rodrigues de Lima, foi nomeada superintendente de Gestão Escolar, com o salário de R$ 2583,98. 


Contracheque de Maria Edileuza



Contracheque de Maria José Rodrigues de Lima





Os cargos comissionados que as esposas dos vereadores ocupam na prefeitura de Camocim são conhecidos como cargos de confiança, ou seja, concedidos através de portarias da Chefe do Executivo Municipal. Funções que não carecem passar de concurso ou seleção pública. Bom, mas essa não é a questão que merece destaque, porque do ponto de vista técnico, apesar de ser imoral, não é ilegal. A questão a ser tratada, inclusive examinada pelo Ministério Público e pela Justiça, diz respeito ao cumprimento das tarefas do cargo. Ou seja, as duas meruoquenses estão de fato trabalhando ou apenas ganhando o dinheiro do povo sem prestar serviço? 


A de se questionar se essas profissionais da educação abandonaram suas famílias em Meruoca para prestarem expediente em Camocim durante a semana ou se elas percorrem todos os dias mais de 250 quilômetros de Camocim a Meruoca no trajeto de ida e vinda  em  transporte intermunicipal ou particular. 


A saber: moradores de Meruoca afirmam que as duas comissionadas nunca deram um dia de expediente na Secretaria da Educação de Camocim, pois são vistas por lá [Meruoca] diariamente, transitando normalmente sem demostrarem ar de compromisso com qualquer trabalho. 


Imoral


De todas as formas não resta dúvidas da imoralidade explicita a caracterizar o caso. Os cargos ocupados pelas esposas dos vereadores da oposição de Meruoca são troca de favores políticos, celebrados entre o deputado estadual Sérgio Aguiar e os dois vereadores. Sérgio é conhecido por utilizar a prefeitura de Camocim como objeto de negociações de votos com aliados de outros municípios.


Lembrando: o entendimento do  TRE do Ceará é de que Sérgio e Monica Aguiar já cometeram crime eleitoral se utilizando desta prática. 


Essas nomeações não são frutos da prefeita Betinha, que certamente não conhece as duas figuras de Meruoca. Ela apenas se prestou ao triste papel de marionete do deputado e da Ouvidora. E isso não significa dizer que ela não tenha culpa. Tem! Ela não está isenta. Ela é a prefeita, tem o poder de caneta, apesar de não utilizar. 


Desconsiderando os camocinenses


Será que em Camocim não existe ninguém capacitado para ocupar esses cargos?


Considere, caro leitor, a quantidade de camocinenses capacitados - inclusive aliados de Sérgio -  desempregados, na espera de uma oportunidade de trabalho, tendo que ver essas oportunidades sendo entregues para pessoas de outras cidades através das negociatas escusas visando tão somente a troca de votos. 


Carlos Jardel

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.