Ex-deputada Flordelis é presa no Rio de Janeiro: 'algo que eu não fiz' - Revista Camocim















sexta-feira, 13 de agosto de 2021

Ex-deputada Flordelis é presa no Rio de Janeiro: 'algo que eu não fiz'



A ex-deputada federal Flordelis, acusada de mandar matar o marido Anderson do Carmo, em 2019, foi presa na noite desta sexta-feira (13), em Niterói, no Rio de Janeiro. A informação foi confirmada pela Polícia Civil ao G1.


Nas redes sociais, ela divulgou um vídeo falando que estava indo presa, e pediu: "Olá gente, chegou o dia que ninguém desejaria chegar. Estou indo presa por algo que eu não fiz, por algo que eu não pratiquei. Eu não sei para quê, mas estou indo com força e com a força de vocês. Orem por mim. Orem, orem. Uma corrente de oração na internet. Busquem a deus, está bom? Um beijo, amo vocês".


Mais cedo, ela teve a prisão preventiva solicitada pelo Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ). A defesa dela entrou com pedido de habeas corpus para evitar que a prisão fosse decretada. 


O pedido aconteceu dois dias após a Câmara dos Deputados aprovar em plenário a cassação do mandato da agora ex-parlamentar. Foram 437 votos a sete. Doze parlamentares se abstiveram. 


"Com a perda do mandato de parlamentar, a situação jurídica da ré deve ser revista, para sanar a desproporcionalidade que havia entre as medidas cautelares impostas e os fatos imputados e as condutas que a ré praticou para interferir na instrução e se furtar no momento da aplicação da lei penal", diz pedido de prisão envida para a 3ª Vara Criminal de Niterói.


O MPRJ argumentou ainda que é claro que a liberdade da acusada punha em risco a "instrução criminal e a aplicação da lei penal". Segundo o órgão, a decretação da prisão só não havia sido concretizada devido à imunidade parlamentar.


RETIRADA DE TORNOZELEIRA NEGADA 


Na quinta-feira (12), a Justiça do Rio negou pedido para a retirada da tornozeleira eletrônica de Flordelis, equipamento usado por ela desde outubro de 2020.


Conforme o magistrado, a defesa não apresentou elementos suficientes que justificassem a suspensão imediata da medida cautelar. Segundo ele, os mesmos argumentos já tinham sido apreciados em outro pedido de habeas corpus que foi negado.


CRIMES


Flordelis responde por quatro crimes: homicídio triplamente qualificado (por motivo torpe, emprego de meio cruel e de recurso que impossibilitou a defesa da vítima), tentativa de homicídio, uso de documento falso e associação criminosa armada.


Anderson do Carmo foi assassinado dentro de sua casa em Niterói, em junho do 2019. A ex-deputada é acusada de ser a mandante do crime, mas não podia ser presa em razão de sua imunidade parlamentar.


 Ponto Poder Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.