Em primeiro compromisso no Ceará, Lula ouve defesa de candidatura própria ao governo - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça os produtos

Clique na imagem e faça agora sua pré-inscrição. Vagas limitadas!


Para mais mais informações, clique na imagem

Clique na imagem

Clique na imagem
R.General Tibúrcio, vizinho à Academia de Letras, Centro.Telefone: (88) 9 9422 2120.









sábado, 21 de agosto de 2021

Em primeiro compromisso no Ceará, Lula ouve defesa de candidatura própria ao governo

Ex-presidente inicia agenda no estado recebendo deputado José Airton




O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva abriu a agenda política de sua passagem pelo Ceará discutindo o futuro do Partido dos Trabalhadores no estado. O líder petista chegou a Fortaleza nesta sexta-feira (20) e, como primeiro compromisso, reuniu-se com o deputado federal José Airton, defensor de uma candidatura petista ao governo do Estado nas eleições de 2022, além da postulação do governador Camilo Santana ao Senado.


Para José Airton, a eleição no Ceará está nacionalizada, em função da candidatura de Ciro Gomes (PDT). “Como poderemos subir no palanque de um candidato a governador que nacionalmente defende outro projeto, e cujo representante ataca o PT e o Lula quase diariamente?”, questiona o parlamentar, que já disputou o governo estadual pelo PT em 1998 e 2002.


“O presidente Lula merece um palanque leal e forte para seu projeto de reconstrução do Brasil e a forma de fazer isso é construindo uma frente ampla em que todos defendam o Lula de forma integral”, afirmou. Ainda de acordo com José Aírton, a avaliação positiva do governo Camilo não apenas o legitima a disputar uma vaga no Senado como também “referenda o desejo dos cearenses pela continuidade de uma gestão estadual sob o comando do PT”.


Durante a reunião, Lula recebeu uma camisa do “Movimento PT Lá e Cá”, criado por militantes do partido e que em mobilizando apoio nas redes sociais. Participaram do encontro a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, o secretário-geral do partido, Romênio Pereira e o vice-presidente nacional, Marcio Macêdo.


Carlos Jardel