Sesa diz não ter distribuído vacinas vencidas contra a Covid no Ceará - Revista Camocim















sábado, 3 de julho de 2021

Sesa diz não ter distribuído vacinas vencidas contra a Covid no Ceará

 


A Secretaria da Saúde do Ceará (Sesa) informou não ter distribuído vacinas contra a Covid fora da validade no Estado. Levantamento do jornal Folha de São Paulo divulgado nesta sexta-feira (2) revela que cerca de 26 mil doses de lotes com prazo de validade expirados da AstraZeneca teriam sido aplicadas em 1.532 municípios brasileiros, sendo 60 no Ceará. 


Segundo o levantamento, feito com base em dados do Ministério da Saúde, pelo menos 710 pessoas no Ceará foram vacinados contra a Covid-19 com doses vencidas da AstraZeneca.


"A Sesa recebeu dois lotes de imunizantes contra a Covid-19 que estão citados na matéria da Folha de São Paulo. Desde que recebeu as primeiras doses, no dia 18 de janeiro de 2021, o Ceará tem distribuído os imunizantes a todos os 184 municípios com logística desenvolvida pelo Estado por meio de aviões, helicópteros e caminhões", diz a pasta. 


"A Sesa controla o envio das vacinas até sair do Central de Armazenamento e Distribuição (Ceadim) do Estado e orienta os municípios sobre a validade das vacinas", explica. 


A cidade no Estado que mais aplicou doses vencidas, ainda conforme a Folha de São Paulo, foi Potengi, 173 no total. Em seguida vem Fortaleza, com 63 doses aplicadas e Guaraciaba do Norte, com 59.


Em nota, o Ministério da Saúde afirmou que nenhuma dose é distribuída vencida e acompanha o prazo de validade rigorosamente. "Conforme pactuado com Conass e Conasems, as doses entregues para as Centrais Estaduais devem ser imediatamente enviadas aos municípios pelas gestões estaduais. Cabe aos gestores locais do SUS o armazenamento correto, acompanhamento da validade dos frascos e aplicação das doses, seguindo à risca as orientações do Ministério".


 A Pasta afirma ainda que "segundo a orientação do Plano Nacional de Operacionalização da Vacinação contra a Covid-19 (PNO), caso alguma vacina seja administrada após o vencimento, essa dose não deverá ser considerada válida, sendo recomendado um novo ciclo vacinal, respeitando um intervalo de 28 dias entre as doses. O vacinado deverá ser acompanhado pela Secretaria de Saúde local".


Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário