Usina de oxigênio é comprada com dinheiro público e não do hospital. Quando esmola é demais o santo desconfia. - Revista Camocim

terça-feira, 13 de abril de 2021

Usina de oxigênio é comprada com dinheiro público e não do hospital. Quando esmola é demais o santo desconfia.

Quem explica essa ????



Existem algumas situações  que fazem valer  o famoso ditado popular: "quando a esmola é demais o santo desconfia". Pois bem. Hoje a prefeita Betinha, de volta ao mundo da fotografia em rede social, informou que a prefeitura de Camocim adquiriu uma usina de produção de oxigênio - isso  depois de um ano de pandemia de Covid-19, pressão popular  e do Estado do Ceará, por ser uma das regionais de saúde  a não possuir  esse equipamento, situação que inviabilizava o hospital Polo a ter leitos de UTI. - Hoje esse "negócio" apareceu - já com atraso. Era pro dia 05, já contamos 12 e Deus sabe quanto tempo isso vai levar para estar funcionando pra valer -. Mas, independente desse objeto, a questão do santo desconfiar da esmola é a seguinte:

 

O  hospital é filantrópico - da Família Aguiar -  e a prefeitura é, logicamente, pública!,  como então comprou com recurso público uma usina de oxigênio pra colocar no hospital particular? Por que não foi a mantedora do hospital, a Associação de Proteção à Saúde, à Maternidade e  à Infância de Camocim que comprou? 


O hospital deveria ter comprado esse equipamento com a verba milionária que recebe para se manter. E não a prefeitura. 


É um equipamento cuja eficiência e serventia não está sendo colocada em questão. O que está sendo questionado é correta aplicação do dinheiro público num hospital privado.


 Aliás, é bom saber o que hospital de Camocim fez com os recursos que recebeu do Governo Federal através de Portaria do Ministério da Saúde no  ano passado (2020). Falaremos desse assunto noutro momento. 


Alô vereadores de Camocim, alô Dr. Evânio, Promotor de Justiça.



Carlos Jardel 


Nenhum comentário:

Postar um comentário