Pandemia aumenta pobreza e desigualdade no mundo - Revista Camocim

sábado, 17 de abril de 2021

Pandemia aumenta pobreza e desigualdade no mundo

 




Por Paulo Emanuel Lopes*


Você doou alguma cesta alimentícia durante a pandemia? Se não, deveria pensar nesse momento a possibilidade…


A pandemia de Covid-19 vem devastando muitas famílias, seja tirando-lhes entes queridos, seja prejudicando seu ganha-pão. Atividades que até começo de 2020 faziam parte de nossas rotinas como o turismo, festas que reuniam multidões e restaurantes da moda lotados agora são inconcebíveis, pela possibilidade de uma doença invisível ser transmitida.


E a paralisação desses negócios, por tempo tão prolongado, causa consequências terríveis - tanto para a saúde financeira das empresas como para a de proprietários e funcionários. Fome e desemprego surgem, e nada de melhora no horizonte.


Nesse sentido, a Polícia Militar do Ceará realizou essa semana ação social muito importante. O 1º Comando Regional da Polícia Militar (1º CRPM) doou, por meio de campanha de arrecadação interna da Corporação, quase oito toneladas de alimentos para cerca de 600 famílias em situação de vulnerabilidade - as cestas foram distribuídas nesta terça-feira, 13 de abril (1). Muito legal!


E para além de garantir uma mesa mais cheia, a ação da Polícia é super importante pelo exemplo positivo de mobilização que dá. Eu mesmo conheço pessoas que, neste momento, estão promovendo campanhas de arrecadação de alimentos em Fortaleza e Camocim, na sede e no interior do município. Conheço também pessoas procurando doar cestas. É um bem que você faz e se multiplica.


A “pobreza da pandemia”, que ouvimos falar por aí, já pode ser mensurada em números. Segundo Relatório Anual da CEPAL, órgão das Nações Unidas para a América Latina, divulgado no último dia 03 de março, em 2020 cerca de 22 milhões de indivíduos cruzaram a linha da pobreza em nossa região, que agora possui 209 milhões de pessoas vivendo nessa condição. Ou seja, neste meio de pandemia, um terço da população latino-americana (33,7%) encontra-se em situação de pobreza. Entre estes, 78 milhões amargam situação pior, na extrema-pobreza; são 8 milhões de pessoas a mais que no final de 2019 (2).


Aqui em Camocim o desemprego, a falta de dinheiro circulando no comércio é muito visível. E não há muito que podemos fazer além de doar, usar máscaras e evitar contatos sociais, até que vacinas cheguem ao nosso País em quantidade suficiente. Só assim poderemos, enfim, se não for possível erradicar, ao menos diminuir a incidência dessa doença, aqui no nosso sofrido Brasil e no mundo.


Apesar desse quadro tão triste, não foi para todos que a pobreza bateu à porta. Para muitos, a pandemia vem sendo sinônimo de lucro. Segundo apurou a Bloomberg, agência de notícias e de tecnologia voltada ao mercado financeiro, os 500 nomes mais ricos do mundo aumentaram EM QUASE UM TERÇO (31%) sua riqueza apenas no ano de 2020! (3) Já segundo a Forbes, revista especializada em grandes fortunas, os 660 bilionários existentes nos Estados Unidos elevaram ainda mais seu patrimônio: crescimento de 38,6% da riqueza em comparação a meados de março de 2020 (4).


Assim como a pobreza, a desigualdade social aumentou consideravelmente no mundo pandêmico. É importante, portanto, que nesse momento o Estado brasileiro invista forte na área social. O investimento garante tanto a segurança alimentar das famílias quanto uma renda mínima para o comércio em geral.


Muitos são contra. Mas a preocupação aqui não é o “estímulo à pobreza”, como se o Estado transformasse as pessoas em dependentes. Quem não vai pra frente, não vai com ou sem a ajuda do Estado. Muito maiores são as conquistas sociais do Bolsa Família, basta observarmos a mudança de perfil do estudante do ensino superior no Brasil nos últimos 20 anos. São contra porque sabem que, quanto mais o Estado ajuda, mais é preciso imposto para pagar por isso.


Aliás, quem paga mais impostos são os ricos, correto? Não!


Você sabia que, no Brasil, os pobres pagam proporcionalmente mais imposto que os ricos? Pois é, em nosso país, os principais tributos incidem sobre bens de consumo, não sobre patrimônio e renda. Assim, ao comprar uma geladeira ou fazer um mercantil no começo do mês, ricos e pobres pagam a mesma quantia em impostos. Por outro lado empresários, ou seja, aqueles que têm empresa e fazem retirada em forma de lucro (dividendos), não precisam pagar Imposto de Renda. Quem acaba pagando mais IR é a classe média com carteira assinada (5).


A Argentina adotou estratégia nesse sentido. Para financiar os gastos extras com a pandemia, o governo peronista aprovou, no final de 2020, lei que cria um imposto para pessoas com patrimônio superior a cerca de 12 milhões de reais (200 milhões de pesos argentinos, na cotação de hoje). A mordida, de até 3,5% para bens no país e 5,25% para patrimônio no exterior, será cobrado uma única vez e atinge apenas cerca de 12 mil contribuintes (6) - a nação de Maradona possui quase 45 milhões de habitantes.


Já no Brasil do atual presidente… A pandemia tem mais de ano, mas a primeira reunião do Comitê Nacional da Covid-19, liderado pelo mineiro e presidente do Senado Rodrigo Pacheco (DEM), só veio ocorrer agorinha, dia 31 de março de 2021 (7). Se fosse há um ano, já seria tarde.


Além do aumento da pobreza, precisamos lidar com essa ausência de liderança nacional no momento que nosso país mais precisa.


* É jornalista. Escreve para o Revista Camocim às sextas.


REFERÊNCIAS


(1) https://www.ceara.gov.br/2021/04/14/campanha-da-policia-militar-arrecada-quase-oito-toneladas-de-alimentos-para-doacao-em-comunidades/ 


(2)  https://www.cepal.org/pt-br/comunicados/pandemia-provoca-aumento-niveis-pobreza-sem-precedentes-ultimas-decadas-tem-forte 


(3) https://economia.ig.com.br/2021-01-02/fortuna-dos-mais-ricos-cresce-31-na-pandemia-veja-nomes-dos-que-mais-ganharam.html 


(4) https://www.forbes.com.br/forbes-money/2021/01/bilionarios-norte-americanos-enriqueceram-mais-de-us-1-tri-durante-a-pandemia/ 


(5) https://economia.uol.com.br/noticias/bbc/2020/09/06/por-que-os-mais-ricos-pagam-menos-imposto-sobre-a-renda-no-brasil.htm 


(6) https://www.poder360.com.br/internacional/senado-argentino-aprova-imposto-sobre-grandes-fortunas/ 


(7) https://www12.senado.leg.br/noticias/videos/2021/03/pacheco-apresenta-iniciativas-legislativas-na-1a-reuniao-do-comite-da-covid-19

Nenhum comentário:

Postar um comentário