Viçosa - Secretário da Saúde, zangadinho, faz demagogia barata - Revista Camocim

terça-feira, 30 de março de 2021

Viçosa - Secretário da Saúde, zangadinho, faz demagogia barata

Ele acredita ter a última palavra do tipo "Roma locuta est; causa finita est”. 




Nada democrático e nervosinho, bem zangadinho, o secretário da Saúde de Viçosa do Ceará tem se saído  um tremendo e clássico  demagogo e hipócrita de primeira categoria. Ele gravou um vídeo dizendo que o papel da oposição "é não fazer nada". 

É uma afirmação, obviamente, leviana.  E o "sumo secretário" deve ter esquecido de que já fez oposição política declarada. E a fez usando, de forma desonesta, todo o prestígio que tem a batina da Igreja Católica. Digo isso porque o Adriano é, lamentavelmente, padre, apesar de estar sob os efeitos da Suspensão de Ordem.


Além disso, pra falar tamanha babaquice de pedestal, o  secretário de primeira plumagem, pelo jeito, nunca participou de uma Sessão da Câmara de Vereadores, onde as bancadas discutem, divergem, mas que em muitos momentos, quase sempre, votam juntos aprovando projetos enviados pelo poder Executivo, dentre outras matérias em forma de requerimentos. 


A asquerosa  afirmação só demonstrou o grau de ignorância constitucional, pelo fato de não reconhecer o antagonismo, a pluralidade de pensamentos, de opiniões e criticas, das quais a Democracia é construída e alimentada. 


É possível que ele esteja se sentindo a verdade absoluta, o detentor da última palavra. A “Roma locuta est; causa finita est”. - Não é!, nunca foi! E nunca será! 


Outro detalhe, é que o secretário trata os servidores públicos da saúde de "meus funcionários".  Apesar de que ele não é patrão e nem paga com dinheiro do seu bolso o salário destes. 


Eles são funcionários públicos. O que significa dizer: "pagos com dinheiro do povo." -  Inclusive o salário do Secretário, que é simplesmente um gestor de pasta. E não um patrão, ou coisa parecida.


O Adriano aproveitou a ocasião para também atacar os vereadores da base aliada, aplicando a mesma crítica do "não fazem nada". Deve ter sido a mando do prefeito ou com o consentimento do mesmo.


Por fim: se não gosta de receber críticas,  é só tirar o rabo da vida pública.  Ou então aguente com volta. 


Carlos Jardel 

Nenhum comentário:

Postar um comentário