Sem lockdown, comércio avalia serem razoáveis novas medidas de restrição - Revista Camocim

Polo Camocim: Santos Dumont, 220,Centro - Contato: (88) 9 9312 4283

Polo Camocim: Santos Dumont, 220,Centro - Contato: (88) 9 9312 4283

sábado, 27 de fevereiro de 2021

Sem lockdown, comércio avalia serem razoáveis novas medidas de restrição



Em meio ao avanço da pandemia no Estado, o comércio cearense já previa um endurecimento das regras para o funcionamento das atividades econômicas. A não determinação de um lockdown, que proibiria a realização de atividades não essenciais, foi recebida com alívio pelos empresários do setor.


 “Psicologicamente, o termo lockdown é muito duro. Foram medidas razoáveis para nós”, avalia o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Fortaleza (CDL Fortaleza), Assis Cavalcante. Ele aponta que, em fevereiro, as vendas do comércio caíram 30% na comparação com igual período do ano passado.


Antes permitido até às 20h, o novo decreto estadual estabelece que as lojas de rua passem a funcionar de 9h às 17h e as de shopping, de 10h às 19h durante a semana e de 10h às 17h aos sábados e domingos. O toque de recolher passou de 22h para 20h na semana e, aos fins de semana, a circulação fica restrita a partir das 19h. As medidas valem a partir de hoje até o próximo dia 7, mas podem ser prorrogadas.


O presidente da Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Ceará (FCDL-CE), Freitas Cordeiro, avalia que as medidas tomadas são necessárias para conter o avanço da pandemia. 


“Nós precisamos viver de acordo com a realidade e a essa altura, não há mais o que discutir. Todos estamos vendo que a solução imediata para conter o avanço do coronavírus ainda está no distanciamento. Da nossa parte, do comércio, nós sabemos que vamos apanhar, mas continuo apoiando as decisões governamentais, que não poderiam ser diferentes”, aponta.


Diário do Nordeste

Nenhum comentário: