Família de pescador desaparecido em lancha pede ajuda para ir reconhecer corpo no Rio de Janeiro - Revista Camocim















sexta-feira, 5 de fevereiro de 2021

Família de pescador desaparecido em lancha pede ajuda para ir reconhecer corpo no Rio de Janeiro



A família de Wilson Martins dos Santos, um dos cinco tripulantes da embarcação O Maestro, gravou um vídeo solicitando ajuda financeira para viajar ao Rio de Janeiro e reconhecer se algum dos dois corpos encontrados pela Marinha do Brasil nessa quinta-feira (4) é do pescador.


"Não sabem com certeza se é meu pai, mas eles pediram pra gente ir até o Rio fazer o reconhecimento", pondera Renato dos Santos, filho de Wilson. 


Em nota oficial, o 1º Comando do Distrito Naval informou que, no quinto dia consecutivo de buscas, dois corpos "supostamente relacionados com os tripulantes" foram localizados a 50 km a leste do Farol de Cabo Frio.


Nesta sexta-feira (5), o navio demandará o Porto de Macaé para possibilitar o translado e a identificação dos corpos. Contudo, Renato dos Santos lamentou não ter condições financeiras para chegar ao estado fluminense. 


Como ajudar


"A nossa família é humilde. A gente vai angariar recursos para fazer essa viagem ao Rio de Janeiro e reconhecer o corpo. Desde já, quem puder nos ajudar fazer um esforço de dar uma palavra amiga ou de ajudar financeiramente para fazer essa viagem", reforça. 


Os familiares disponibilizaram dois contatos para os interessados em contribuir. Além do telefone de Marcelo (85 99728.8971), a filha de Wilson, Flor dos Santos, também está disponível no número 85 98184.8974.


Tripulantes


O barco com os cinco homens desapareceu na última sexta-feira (29), nas proximidades do Farol de São Tomé, no Litoral Norte do Rio, enquanto voltavam a Fortaleza. Cerca de 24 horas antes, a embarcação apresentou falhas técnicas. 


Estavam na viagem marítima Guilherme Ambrósio (comandante); Cláudio de Souza (operador de máquinas); Wilson dos Santos (pescador); e Ricardo Kirts e Domingos de Souza, donos do transporte. 


A esposa do proprietário da lancha, Tatiana Cruz, já está no Rio de Janeiro desde a última quarta-feira (3). A reportagem tentou contato, mas ainda não teve retorno. 


A Marinha do Brasil destacou que "apesar das condições de mar desfavoráveis", as buscas continuam nesta sexta-feira, quinto dia de operações. Até agora, um navio e duas aeronaves percorreram mais de 55.000 km, entre o Porto do Açu, em São João da Barra e a Restinga da Marambaia.


Diário do Nordeste

Nenhum comentário:

Postar um comentário