O Camocim das mulheres - Revista Camocim

sexta-feira, 27 de novembro de 2020

O Camocim das mulheres

Prefeita Ana Maria (sentada) ladeada de mulheres com posição de mando em Camocim.

Falar da importância das mulheres na história de Camocim é necessário uma investigação acadêmica. Com efeito,  até monografia na UVA já abordou o assunto. No entanto, houve um período durante os anos 1980 que elas ascenderam de forma decisiva nos principais postos de comando da cidade.

Desde a administração municipal, passando por órgãos do Estado e da União, além da iniciativa privada, elas pontificaram num tempo em que a abertura política no país trazia novos tempos, pensamentos e comportamentos. Portanto, antes dos grandes debates que permitiram às mulheres uma maior participação na vida política do país e da luta pelos direitos enfim consignados na Constituição de 1988, eis que Camocim já era manchete (sem trocadilho) na extinta Revista Manchete (1987) em alentada reportagem que destacava essa presença feminina.

Camocim era, portanto, "A Cidade das Mulheres", capitaneada pela então Prefeita Ana Maria Veras (então pertencente à facção política "Fundo Mole), num tempo que a possibilidade de termos uma presidente mulher no Brasil era quase utopia.

Não somente seu staff de colaboradoras na administração municipal na figura de secretárias, diretoras de escolas e outros cargos foram mostrados, mas, também diretoras de órgãos como o INPS, COELCE, SESI, Delegacia do Trabalho, Promotoria, evidenciando a supremacia feminina no comando dos principais postos da cidade.

Algumas dessas mulheres não estão mais entre nós, mas suas marcas estão na nossa memória. Em postagens posteriores, pretendemos enfocar mais detidamente o trabalho e trechos dessa histórica reportagem, onde mulheres das mais variadas origens escreveram um pouco da nossa história.

Informações do Camocim Pote de Historias via Revista Manchete (1987).

Nenhum comentário:

Postar um comentário