Vacinação fica 30 pontos percentuais abaixo da meta na pandemia - Revista Camocim

quinta-feira, 6 de agosto de 2020

Vacinação fica 30 pontos percentuais abaixo da meta na pandemia

A busca por postos de saúde em Fortaleza e no Estado, nos últimos meses, predominou entre pacientes que apresentaram sintomas gripais, suspeitos da infecção pelo novo coronavírus. Nesse contexto, outro serviço fundamental à saúde prestado pelas unidades básicas deixou de ser procurado por pais de crianças e adolescentes: a vacinação. No Ceará, a cobertura vacinal média para sete das principais imunizações obrigatórias totalizou 66,6%, entre janeiro e junho, quase 30 pontos percentuais (pp) abaixo da meta de 95%, segundo dados da Secretaria da Saúde (Sesa).

No primeiro semestre de 2019, a média de cobertura totalizou 96,8%, quantidade acima do mínimo de 95% preconizado pelo Ministério da Saúde. Isso significa que quase todas as pessoas do público-alvo garantiram as doses das imunizações. Já no mesmo período deste ano, entrecortado pela Covid-19, o índice ficou em 66,6%, 30,2 pp a menos que o ano passado, e 28,4 pp abaixo da meta.

Os dados, compilados pela Sesa, consideram as vacinas BCG, que previne contra formas graves da tuberculose; a meningocócica C, contra meningite e infecção generalizada; a pentavalente, contra difteria, tétano, coqueluche, hepatite B e meningite; a pneumocócica, contra pneumonia, otite e outras infecções; a rotavírus humano, que previne diarreia causada por esse agente; e a tríplice viral, contra sarampo, caxumba e rubéola.

O receio de ir ao posto de saúde em meio à disseminação da Covid-19 foi a principal razão para a produtora de eventos Damires Gentil, 33, atrasar por três meses quatro vacinas obrigatórias para a filha Ísis, hoje com 1 ano e meio.

Informações do Diário do Nordeste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário