VEREADOR ASSASSINADO ERA RADIALISTA E "DENUNCIAVA DESMANDOS", DIZ DEPUTADO - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 25 de agosto de 2015

VEREADOR ASSASSINADO ERA RADIALISTA E "DENUNCIAVA DESMANDOS", DIZ DEPUTADO

O deputado Ferreira Aragão (PDT) classificou como “crime por divergência política” o assassinato de José Targino dos Santos – o Faceta (PDT) –, vereador do município de Barreira, na Serra de Baturité. Segundo Aragão, Faceta era também radialista e conhecido por “denunciar desmandos e corrupção” na região.

Segundo destacamento da Polícia Militar em Barreira, Faceta estava em um bar na manhã desta terça-feira, onde debatia política com amigos, quando houve divergência de ideias com um homem. Após a discussão, um outro homem chegou ao bar e atirou contra o vereador, que foi atingido no peito. O vereador morreu no local.

A PM já identificou suspeitos pelo crime, não divulgando nomes para não atrapalhar as buscas - que são feitas nesta terça-feira. “Não podemos aceitar isto que está acontecendo. Até quando vamos aguentar? Esperar pela justiça dos homens que nunca chega e quando chega falha. Temos que apurar. Ele pagou com sua própria vida”, disse Ferreira Aragão.

Radialistas

O assassinato é investigado pela Delegacia de Redenção. No dia 6 deste mês, um outro radialista, Gleydson Carvalho, foi morto a tiros no estúdio da rádio onde trabalhava, em Camocim. O caso também tem indícios de crime político.

Para Ferreira Aragão, o direito de se expressar, garantido pela Constituição Federal, está sendo desrespeitado por bandidos. “Há vários casos, uns que estão caindo no esquecimento e outros na impunidade e eles querem assombrar. Tem que haver um enfrentamento”, diz.

Redação O POVO Online