"NÃO SOMOS ALIADOS COMO O GOVERNADOR CID. SOMOS GOVERNO", DIZ MICHEL TEMER - Revista Camocim

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas


Clique na imagem e fale com a gente

Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




quarta-feira, 5 de novembro de 2014

"NÃO SOMOS ALIADOS COMO O GOVERNADOR CID. SOMOS GOVERNO", DIZ MICHEL TEMER

No mesmo dia em que o governador do Ceará, Cid Gomes (PROS), apresentou à presidente Dilma Rousseff a proposta de uma frente de esquerda para "atenuar as chantagens, as ameaças e as pressões", o vice-presidente Michel Temer disse nesta última terça-feira que o PMDB garantiu "governabilidade absoluta" para presidente e seguirá dando força ao trabalho da petista. 

"Não somos aliados como o governador Cid. Somos governo. O governo elegeu o presidente e o vice-presidente. Nós somos governo", rebateu Temer, após reunião com deputados eleitos no gabinete da vice-presidência. "O PMDB deu a governabilidade absoluta à presidente Dilma, como deu no passado a vários outros governos. Nós não tivemos uma falha sequer com o governo da presidente Dilma. Não há nenhum projeto governamental que não tenha sido aprovado pela força política do PMDB. O PMDB continuará dando essa força." 

Na avaliação do vice-presidente, a unidade do partido está sendo construída "aos poucos". Temer receberá ainda hoje no Palácio do Jaburu governadores atuais e eleitos do partido, além de senadores e deputados eleitos, para um jantar de "confraternização". 

Temer considerou "natural" a mobilização da bancada do PMDB e de outros partidos pela candidatura do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) à Presidência da Câmara. "Isso é natural no Parlamento. Eu fui três vezes presidente da Câmara dos Deputados, forma-se bloco de um lado, de outro, num sistema em que hoje há 28 partidos representados na Câmara, é natural que se formem blocos", comentou.

OUÇA AQUI A ENTREVISTA COM O VICE-PRESIDENTE MICHEL TEMER

Ceará News
Com informações do Estadão