TRE-PI CASSA PREFEITA E DETERMINA REALIZAÇÃO DE NOVA ELEIÇÃO - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




terça-feira, 29 de janeiro de 2013

TRE-PI CASSA PREFEITA E DETERMINA REALIZAÇÃO DE NOVA ELEIÇÃO

Foto extraída do site
Brasileira City

  Dentro de 40 dias o município de Brasileira terá novas eleições. Esta é a determinação do Tribunal Regional Eleitoral do Piauí (TRE-PI), que indeferiu na sessão de ontem o Registro de Candidatura de Paula Miranda Amorim Araújo (PSB), candidata eleita a prefeita nas eleições de 2012, com 2.913 votos, e determinou a realização de novas eleições no mesmo município.
 A prefeita cassada irá ingressar com recurso no TSE (Tribunal Superior Eleitoral). A decisão da Corte eleitoral foi tomada no julgamento do recurso impetrado pela Coligação “Brasileira é de Todos” e Carmem Gean Veras de Meneses (PCdoB), candidata a prefeita de Brasileira, contra decisão do Juiz da 11ª Zona Eleitoral que havia deferido o registro de Paula Araújo em substituição a José Sampaio de Araújo Filho, seu marido, que renunciou à candidatura nas vésperas do pleito.
 Eles alegaram ausência de ampla divulgação da candidatura da recorrida, fato que configuraria fraude no processo eleitoral. Carmem Gean obteve 2.245 votos. O Tribunal decidiu por maioria de votos, nos termos do voto divergente do juiz Sandro Helano Soares Santiago, ficando vencido o relator, desembargador José Ribamar Oliveira. O Procurador Regional Eleitoral, Alexandre Assunção, opinou pelo provimento do recurso.
 Os Tribunais Regionais Eleitorais (TREs) já definiram a realização de novas eleições para os cargos de prefeito e vice-prefeito em 17 municípios brasileiros. Os pleitos marcados até o momento estão agendados para os meses de fevereiro, março e abril. Em todas essas cidades, as eleições foram anuladas porque os candidatos que concorreram com registro de candidatura rejeitado obtiveram mais de 50% dos votos válidos. Assim, os votos recebidos por eles foram anulados pela Justiça Eleitoral, ficando o candidato impedido de ser diplomado e empossado.

Fonte:  meionorte.com

Carlos Jardel