PROFESSORES NOS EUA SÃO TREINADOS PARA LIDAR COM ARMAS DE FOGO NAS ESCOLAS - Revista Camocim

Clique na imagem e fale com a gente

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Clique na imagem e conheça nossos produtos e ofertas

Financiamento a partir de R$160 mil.Venha conversar com a gente. Clique na imagem.


Em Camocim, hospede-se nos hotéis Ilha Park e Ilha Praia Hotel. Clique na imagem e faça sua reserva




sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

PROFESSORES NOS EUA SÃO TREINADOS PARA LIDAR COM ARMAS DE FOGO NAS ESCOLAS

A professora Kasey Hansen, em Salt Lake City, no Estado norte-americano de Utah, está entre aquelas que levaria um tiro por qualquer um de seus alunos, embora preferisse atirar nele, se soubesse lidar com uma arma de fogo. Ela integra o grupo de 200 professores daquele Estado que passaram a receber, nesta sexta-feira, instruções sobre o manuseio de revólveres, pistolas e rifles. O treinamento é ministrado por ativistas pró-armas, segundo os quais os educadores armados poderiam ter uma chance de impedir tiroteios fatais e indiscriminados nas escolas se portassem e usassem uma arma.
Organizado pelo Conselho do Tiro Esportivo de Utah, o treinamento é uma espécie de resposta pública aos disparos de um atirador em Newtown, no Estado de Connecticut, este mês, que mataram 20 crianças e seis funcionários da escola Sandy Hook. Integrantes do Conselho dizem que o treinamento reúne, geralmente, cerca de 16 professores todos os anos, para os seus cursos de formação para armas que o cidadão tem direito de portar em público. O encontro, desta vez, organizado para os educadores após o massacre de Newtown, atraiu o interesse de centenas de professores, mas precisou ficar restrito a 200 pessoas devido à limitações de espaço.
– Sinto que eu levaria um tiro por qualquer aluno no distrito escolar. Se nós um dia tivermos de enfrentar um atirador como o de Connecticut, estarei totalmente preparada para responder com a minha arma – afirmou Kasey, professora de educação especial em uma escola de um distrito de Salt Lake City, que falou à agência inglesa de notícias Reuters após a sessão de treinamento, acrescentando que planeja comprar uma arma em breve e levá-la para o trabalho.
Nos EUA, o massacre de Newtown reabre um antigo debate nacional sobre o uso das armas de fogo. O presidente Barack Obama indicou que dará apoio ao restabelecimento de uma proibição nacional de armas como fuzis e instou o Congresso a agir. A Associação Nacional do Rifle (NRA, na sigla em inglês) defende a colocação de guardas armados nas escolas e rejeita novas medidas de controle de armas.
Para a Associação Nacional de Educação e algumas autoridades do setor escolar a atitude da NRA é um perigo à população, mas a entidade recebeu uma recepção calorosa em algumas partes do oeste dos EUA, onde a caça e as armas são usadas em larga escala. Utah é um dos poucos Estados que permitem que pessoas com porte de arma a carreguem em instalações escolares, segundo a Conferência Nacional de Legislaturas Estaduais.
No Arizona, o procurador-geral Tom Horne entrou na quarta-feira no debate sobre a segurança escolar ao propor permissão para qualquer escola treinar e armar seu diretor ou outro membro da equipe. O plano, apoiado por pelo menos três magistrados, exigiria a aprovação pelo Legislativo e o governador republicano do Estado, Jan Brewer. 

Carlos Jardel
Fonte: Correio do Brasil