Cadê os votos de Ismael - Revista Camocim

terça-feira, 24 de novembro de 2020

Cadê os votos de Ismael

Com Ismael foram 159 votos a menos que o grupo Aguiar recebeu. Ele não elegeu sua sucessora na Câmara! 

A situação do vereador Ismael Pinheiro, eleito vice-prefeito na chapa da Betinha (12), não era uma das melhores no pleito eleitoral deste ano em Camocim. O fato da vitória nas urnas, por conta do acocho, mostra que ele não era "a bola da vez"  a "zuada" em torno do seu nome durante a pré-campanha era propaganda enganosa. Vejamos:

Pra começo de história o grupo Aguiar com a chapa de Betinha  perdeu votos. Diminuiu o eleitorado quando, por certa lógica, deveria ter aumentado. Foram 158 votos a menos.  

Ou seja, o grupo Aguiar já tinha 18.411 votos recebidos pela Monica em 2016 e a Betinha juntamente com o Ismael fizeram o favor de subtrair destes 158 votos. 

Primeiras perguntas: cadê os votos do Dr. Ismael? Se ele foi pra somar, somou em que mesmo?

Te mais: se o vereador médico estivesse com esse potencial de votos e grande aceitação popular que ele imaginava estar - lá vem mais pergunta - por que ele não elegeu para a Câmara a sua esposa? será que neste caso não funciona a  lógica de "pelos pés do santo se beija o altar? 

A candidata Uderlene Pinheiro tirou apenas 538 votos, perdeu pra outros estreantes com nomes bem menos badalado e sem o apoio que ele teve. 

Ora, Ismael sabia do risco de ficar completamente de fora da vida politica, por isso resolveu pescar com duas linhas, pois caso perdesse a disputa na chapa majoritária teria a cadeira na Câmara através da esposa. Foi uma aposta, pois correu o risco de ter perdido a disputa ao Executivo. Neste caso teria sido o famoso " nem mel e nem cabaça".

Na oposição ele não teve o seu nome indicado com unanimidade para ser o vice de Euvaldete. Causaria desconforto no grupo e ainda sua lealdade era a todo instante, e com razão, colocada em questão . Bom, e não demorou muito para o mesmo retornar ao local onde foi humilhado, sabotado e processado e de onde onde saiu temporariamente detonando! 

De qualquer forma o Dr. Ismael jogou com as armas que tinha para escapar politicamente, era "o tudo ou nada!". No entanto, no geral, provou-se que toda sua força politica não passa de meros 538 votos, que na real, de nada serviu para o contexto politico da situação, a não ser como bucha para impulsionar os aliados favoritos de Sérgio no Legislativo. 


Carlos Jardel

Nenhum comentário: