quinta-feira, 24 de setembro de 2020

Camocim - Professores não são lembrados em plano de governo da candidata Betinha

Um bom professor está no centro de uma Educação transformadora da sociedade.  São eles que, equipados de conhecimento científicos e pedagógicos, exploram os pontos fortes e auxiliam nos pontos frágeis dos estudantes, tudo isso levando em consideração a história de vida que o aluno traz na mochila, para que todos avancem. Por isso, à altura dos desafios que eles encontram todo dia na sala de aula, os planos de governo têm de contemplar os vários eixos da profissão: atratividade, carreira, formação, salário e valorização. Infelizmente a professora Elizabete Magalhães esqueceu ou não quis contemplar a sua própria classe no seu plano de governo que destaca 12 passos para um Camocim de futuro, só não pensou no futuro dos profissionais da Educação, pois são eles que fazem acontecer todos os dias em sala de aula. Se as escolas são nota 10, são eles , os professores que fazem a diferença em sala muitas das vezes tirando dinheiro do seu próprio bolso para levar uma aula atrativa e com o objetivo de prender a atenção do aluno.

No passo 02 que se refere à educação, a candidata que não pensou nos professores destaca 30 ações voltadas para a educação e apenas uma que trata dos profissionais do magistério, ou seja, a ação 26 ela destaca que Manterá uma política de valorização salarial dos profissionais da educação, mas talvez ela não saiba que esta ação já está contemplada no Plano Nacional da Educação – PNE (LEI N° 13.005/2014)  (META 17: Valorizar os (as) profissionais do magistério das redes públicas de educação básica de forma a equiparar seu rendimento médio ao dos (as) demais profissionais com escolaridade equivalente, até o final do sexto ano de vigência deste PNE.

Então o que esperar do futuro dos professores se a professora Elizabete Magalhães não pensa em sua própria classe? Um futuro sem valorização, um futuro sem precatórios, um futuro sem abonos, um futuro sem formações, sem valorização de verdade!




Carlos Jardel

Nenhum comentário: