sábado, 18 de julho de 2020

Estudo americano aponta que derivado da maconha pode auxiliar no tratamento da Covid-19


Novo estudo divulgado pela Universidade de Augusta, nos Estados Unidos, aponta que o canabidiol (CBD), derivado da maconha, pode ser eficaz no tratamento aos sintomas da doença. Os testes foram feitos em roedores. 

As evidências mostram que o uso da CBD para tratar Sars (síndromes respiratórias agudas graves), conhecida como a "tempestade inflamatória" da doença, é eficaz. Os autores afirmaram que "atualmente, além de medidas de auxílio, não há cura definitiva para Sars, ilustrando que é urgente que se encontre terapias criativas e eficientes para tratar essa complexa condição". 

A resposta obtida foi melhor que o normal para o sistema imunológico de uma pessoa comprometida com a Covid-19. 

Os resultados sugerem que o CBD é capaz de ajudar reduzindo a produção de citocinas pró-inflamatórias e, assim, combatendo a "tempestade". Com a redução dessas citocinas, a inflamação diminui e é capaz de acabar com o desconforto e demais danos respiratórios. 

A pesquisa foi feita com roedores contaminados artificialmente por uma síndrome respiratória com sintomas similares aos da Covid-19. Os ratos tiveram a tempestade inflamatória, mas "os sintomas foram totalmente ou parcialmente revertidos e retomaram os níveis normais após o tratamento com canabidiol", relataram os cientistas. 

Os autores pretendem dar continuidade aos estudos com testagem em humanos, para que o uso da substância possa ser efetivo no combate a doentes da Covid-19 ou de outras doenças que comprometem a respiração.

Informações do Diário do Nordeste.

Nenhum comentário: