quarta-feira, 1 de maio de 2019

Ex-presidente da UVC, César Veras, delega a servidora poder de promover esquema de corrupção

O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) investiga até 30 Câmaras Municipais envolvidas com esquema de pagamentos fraudulentos de diárias. O então presidente da União dos Vereadores do Ceará (UVC) César Veras delegou à servidora Rosa Ribeiro a tarefa de conceder declarações para o benefício. Esse simples trabalho virou um oceano de corrupção.

Somente na Câmara de Capistrano, os desvios com diárias causou rombo superior a R$150 mil e envolve sete vereadores. A procuradora Vanja Fontenele, da Procap, descobriu que a responsável por tudo era Rosa Ribeiro.

O MPCE não encontrou indícios de participação de César Veras. No máximo, negligência ou excesso de confiança em sua subordinada. A responsável pelas declarações, Rosa Ribeiro, está presa. A prisão é domiciliar.

Em tempo

O novo presidente da UVC, Guto Mota, aboliu essa prática de conceder declarações para vereadores visitarem a entidade em troca de diáras pagas por Câmaras Municipais.

Levantamento completo de todas câmaras implicadas nesses desvios está sendo investigado. Podem chegar a 30.

Nenhum comentário: