Jijoca - Prefeito e secretária "fura fila" pedem desculpas, na marra! - Revista Camocim

Postagem em destaque

Online Telecom promove Campanha Solidária para ajudar famílias carentes de Camocim

 Faça a sua doação e participe dessa corrente do Bem!  A Online Telecom lançou uma Ação Solidária para arrecadar alimentos que serão doados ...

quarta-feira, 7 de abril de 2021

Jijoca - Prefeito e secretária "fura fila" pedem desculpas, na marra!






O prefeito de Jijoca de Jericoacoara, Lindbergh Martins, o perseguidor, foi obrigado, por pressão do Ministério Público Estadual, a pedir desculpas públicas por ter furado a fila da vacinação contra a Covid-19, no dia 18 de Janeiro deste ano (2021) juntamente com a secretária Municipal da Saúde, Joirla Mororó, que também foi enquadrada pelo órgão da Justiça. 
 

Os dois, criador e criatura, ainda vão ter que pagar multas. O prefeito, R$ 62.400 e a secretária R$ 26.000. 


A pergunta é: Por que eles não quiseram pedir desculpas?  Resposta: Porque se quisessem teriam feito isso no mesmo dia em que a população começou a repudiar a atitude improba. Mas, ao contrário,  o prefeito ordenou aos seus "capangas de plantão" das redes sociais e de grupos de whatasapp, que partissem em sua defesa, tentando criar uma justificativa que tornasse legal algo que é ilegal - no caso, furar a fila. 


Eles também tiveram a oportunidade de se retratarem quando a imprensa estadual "caiu em cima" do caso. Mas continuaram fazendo vista grossa. Sendo  que o prefeito, pra piorar, ainda tentou se passar de super herói da população, colocando-se como uma figura "exemplar". 


Vale ressaltar que esse fura fila repercutiu na Câmara de Vereadores, onde o prefeito, mais uma vez, desconsiderou o casso, desperdiçando, talvez, a oportunidade de se confrontar com a Justiça. 


Somente agora, depois de três meses do episódio, que o Ceará todo testemunhou, o prefeito e a secretária,  por força de um Termo de Ajustamento de Conduta-TAC, pediram desculpas. E não foi um pedido verdadeiro, sincero. Pois, além de ter sido forçado, foi "desonesto", empregado de uma linguagem que não mostra o "X" da questão e sim uma tal de  "imunização precoce". 

Ora bolas, não foi "imunização precoce". Foi "vacinação ilegal e criminosa";  


Foi crime de improbidade administrativa!, crime contra a saúde pública e abuso de poder politico! 


Foi crime, mesmo! Tanto foi que a dupla teve que pagar multa. Se não tivesse sido um ato ilegal, não precisaria pagar nada. - Aqui vale a sabedoria popular: "quem não deve, não teme". 


Porém, o fato de pedir desculpas e pagar  multa, pode até garantir o perdão da Justiça - que nem sempre é justa - mas não apaga da memória da população o crime, a improbidade administrativa e o desrespeito cometido. Porque, no frigir dos ovos, prefeito e secretária deixaram dois jijoquenses, do grupo prioritário, prejudicados sem a vacina! 


E por falar em prejudicados, na semana passada, a população inteira foi prejudicada pela incompetência da gestão municipal, que não cumpriu a meta de vacinação e teve um lote das vacinas "bloqueada" pela Justiça. 





Carlos Jardel 

Nenhum comentário: