Senador Sá vive momentos de caos na saúde pública - Revista Camocim

sexta-feira, 29 de janeiro de 2021

Senador Sá vive momentos de caos na saúde pública


Está completando 1(um) mês da administração Bel Júnior em Senador Sá e até o momento o novo governo não disse para que veio. Ou melhor: já disse! Pois logo no primeiro momento, de uma única vez, o novo gestor,  com os votos dos seus vereadores, tidos como marionetes, revogou importantes leis municipais retirando direitos da população, principalmente dos munícipes mais pobres. 



Uma das leis revogadas, foi a a Lei n. 146/2020, que apenas regulamentava condições mínimas para transporte de doentes e pacientes  no município.  Agora, o distrito de Serrota e de regiões próximas,  como Córrego de Cima, Córrego de Baixo, Córrego verde, Panacuiu, Guajara, entre outras localidades enfrentam imensas dificuldades, principalmente na área da saúde.


Na  Serrota, por exemplo, completou 29 dias que populares estão reclamando com a falta  médicos, enfermeiros, dentistas, vacinas, exames de ultrassonografias, nem sequer exames de sangue estão sendo disponibilizados, conforme denúncia de moradores. 





Populares denunciam ainda que, no distrito, apenas 1 (um) carro Fiat Uno, velho, faz, precariamente o transporte de doentes - em péssimas condições: sem ar-condicionado,  sem sequer  declinar o banco, caso precise o paciente ir deitado-.  Um verdadeiro caos! 


Pacientes e pais de crianças carentes, portadores de doenças graves, também relatam que quando vão solicitar um transporte na Secretaria da Saúde, ou até mesmo na sede do poder municipal,  para locomoção até Sobral, para  consultas e exames, recebem um sonoro “NÃO” como resposta. E o pior: as pessoas precisam  solicitar autorização para a  viagem diretamente  com a Secretária  da saúde ou com o próprio Prefeito.



Respostas vindas dos setores da saúde, do tipo: “ aqui não tem taxi”, “ te vira”, “ dar teus pulos”, entre outras, foram comuns nesse mês de Janeiro. 



Em tempo: Somente o distrito de Serrota contava com mais de 60 ultrassonografias, e acompanhamento periódico com consultas mensais para todas as gestantes da região (pré-natal), realizadas por profissionais médicos.






Carlos Jardel 

Nenhum comentário: