Covid-19: compra de vacina por municípios é pouco provável, diz secretário da Saúde do Ceará - Revista Camocim

Postagem em destaque

Online Telecom promove Campanha Solidária para ajudar famílias carentes de Camocim

 Faça a sua doação e participe dessa corrente do Bem!  A Online Telecom lançou uma Ação Solidária para arrecadar alimentos que serão doados ...

sábado, 9 de janeiro de 2021

Covid-19: compra de vacina por municípios é pouco provável, diz secretário da Saúde do Ceará


Em meio às inúmeras manifestações por parte das prefeituras do Ceará de aquisição por conta própria das vacinas contra a Covid, o titular da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), Dr. Cabeto avalia ser “pouco provável” que a ação se materialize. De acordo com ele, a prioridade é o Plano Nacional de Imunização (PNI) e, portanto, o Ministério da Saúde precisa atuar de forma clara para garantir a homogeneidade no processo de acesso à vacina. 


No Ceará, municípios como Maracanaú e Caucaia, na Região Metropolitana de Fortaleza, já publicizaram que assinaram protocolos para garantir por conta própria doses da Coronavac, imunizante contra o coronavírus desenvolvido pela farmacêutica chinesa Sinovac, produzido no Brasil pelo Instituto Butantan, em São Paulo.


Conforme a assessoria da Prefeitura de Maracanaú, um protocolo foi assinado no dia 21 de dezembro de 2020, pelo prefeito Roberto Pessoa e o ex-prefeito e atual secretário de Relações Institucionais, Firmo Camurça, para adquirir de forma prioritária a vacina. No município, os primeiros lotes serão para vacinar os profissionais de saúde e, em seguida, os grupos prioritários. 


Em Caucaia, conforme a assessoria de comunicação da Prefeitura, a ação é semelhante, sendo que o município, diz em nota, “foi o primeiro do Ceará a assinar o termo de compromisso para compra da vacina Coronavac com o Instituto Butantan, que será liberada assim que aprovada pela Anvisa”. O documento, informa a nota, foi assinado pelo prefeito Vitor Valim ainda em dezembro do ano passado. 


O termo de compromisso, conforme a assessoria, garante o fornecimento de 400.000 doses da vacina contra a Covid-19. O prazo para a chegada, de acordo com a nota, depende da aprovação e liberação da vacina pela Anvisa. 


Informações do Diário do Nordeste.

Nenhum comentário: