Saiba qual o caminho da vacina contra a Covid-19 até chegar ao Ceará - Revista Camocim

Postagem em destaque

Online Telecom promove Campanha Solidária para ajudar famílias carentes de Camocim

 Faça a sua doação e participe dessa corrente do Bem!  A Online Telecom lançou uma Ação Solidária para arrecadar alimentos que serão doados ...

terça-feira, 8 de dezembro de 2020

Saiba qual o caminho da vacina contra a Covid-19 até chegar ao Ceará

A Covid-19 segue contaminando e matando milhares de pessoas mundo afora. Pela gravidade da pandemia, o cenário deve ser de cuidado permanente. No Ceará, já foram 304 mil casos confirmados e 9,7 mil mortes. Em meio às perdas, cientistas correm para a produzir vacinas. Até o momento, quatro potenciais imunizantes contra a Covid-19 estão em teste no Brasil. A expectativa é alta. Mas, apesar das projeções, ainda não há data oficial de quando os brasileiros serão, de fato, imunizados.

A pandemia tem outro diferencial no Brasil. Em geral, a aquisição de vacinas e a coordenação de campanhas ficam sob a responsabilidade do Ministério da Saúde. Mas, na corrida para assegurar imunização, estados, como São Paulo, têm buscado alternativas próprias.

No Ceará, o secretário da Saúde, Dr. Cabeto, já informou que o Estado deve ser abastecido, quando aprovado, pelo composto da Universidade de Oxford e da empresa AstraZeneca, no Reino Unido. A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) pode replicar a substância no Brasil. A expectativa é que a vacinação no Estado comece até julho de 2021. A vacina, que está na fase 3 de testes, etapa que precede a aplicação na população, é a aposta do Governo Federal. Ontem, o governador Camilo Santana anunciou que segue em negociação com o Governo de São Paulo para aquisição de doses da vacina CoronaVac.

Na ausência de datas, uma das únicas certezas é que, o imunizante, quando disponível, seguirá os tradicionais ritos aplicados a todas as campanhas de vacinação no País. Para chegar à população dos 26 Estados e do Distrito Federal, a vacina contra a Covid-19 passará por longo processo, relata em entrevista ao SVM, a coordenadora de Imunização da Secretaria Estadual da Saúde (Sesa), Carmem Osterno. Ela traça o caminho que a vacina fará até os postos de saúde, nos 184 municípios, e ressalta que, embora o momento seja atípico devido à necessidade de rapidez, os procedimentos seguem rigorosos. Segurança e eficácia são irrevogáveis.

Informações do Diário do Nordeste.

Nenhum comentário: