quinta-feira, 17 de setembro de 2020

O discurso de campanha não pode anular o passado recente

Segue a reflexão do professor Camocinense Carlos Manuel.

O discurso político na campanha eleitoral não pode anular o passado recente, não pode ignorar aquilo que não foi feito ou esquecido, não pode ser arquitetado em bases ilusórias, não pode ser proclamado como se o povo tivesse "memória curta". 

Caros candidatos, antes de proferirem discursos políticos, procurem refletir sobre a gênese do conceito de Política, bem como o seu conceito na modernidade. Busquem conversar com o povo, de forma franca e honesta, sem fazer teatro político ou falácia desenvolvimentista.

Circulem pela cidade, sobretudo pelos bairros mais periféricos e nas comunidades rurais, na perspectiva de conhecer a real situação social, econômica e estrutural que o município se encontra. Analisem como estão as políticas públicas na área se educação, saúde, segurança, infra estrutura, cultura, assistência social, esporte e lazer, geração de emprego e renda...

Enfim, reflitam sobre como contribuir, significativamente, para o bem estar e o bem comum de todos os munícipes.

Só peço, mais uma coisa: respeitem o povo, sua memória e cidadania! Não estamos mais na República Velha. Hoje nós estudamos, buscamos novos conhecimentos e pensamos em nosso futuro.

(Reflexões de uma tarde ensolarada).

Nenhum comentário: