segunda-feira, 20 de julho de 2020

Jovens denunciam assédio sexual e agressão em seita espiritual em Fortaleza


Abusos sexuais, físicos e psicológicos em um lugar supostamente destinado a cura de feridas da alma. Tudo teria acontecido na Comunidade Afago, uma seita espiritual sem endereço fixo em Fortaleza. Com o psicológico frágil em virtude de múltiplas violências do passado, as vítimas buscavam amparo, mas afirmam que ficaram com cicatrizes ainda mais profundas pois contam que eram obrigadas a passar por rituais que envolviam a manipulação de órgãos sexuais, ejaculação e agressões em nome de uma falsa recuperação. 

Os abusos e agressões teriam ocorrido entre 2018 e o ano passado. As práticas eram supostamente orquestradas por Pedro Ícaro de Medeiros, o Ikky. Acadêmico da graduação em Filosofia em uma universidade pública, ele se apresentava como o mestre espiritual da Afago, que já chegou a ter 200 participantes na faixa etária de 20 anos. O conteúdo da denúncia foi revelado na noite de ontem em reportagem do programa Fantástico, da TV Globo.

Além do tratamento, a comunidade do estudante atraía pelos projetos sociais e cursos terapêuticos baratos, embora estes não tivessem nenhuma certificação válida. À reportagem, o advogado do suspeito apresentou apenas o certificado de um curso de acupuntura, que não o autoriza a ministrar aulas.

O Ministério Público do Ceará (MPCE) requisitou à Polícia Civil a abertura de um inquérito para investigação do caso. Os depoimentos começaram a ser coletados na última quinta-feira (16), segundo a advogada Thayná Silveira. “Ele (Ícaro) pegou esses jovens que estavam querendo pertencer a alguma coisa, que estavam em busca de cura de traumas sexuais, de traumas familiares e as manipulou”, afirma.

Informações do Diário do Nordeste.

Nenhum comentário: