terça-feira, 23 de junho de 2020

Triste entrevista da prefeita foi um sucesso de factoides!


É, de certo ponto, normal que a prefeita venha a público se defender das criticas. De outro certo ponto, o mais correto seria que ela praticasse a defesa corrigindo as falhas de seu governo no que se refere ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 ao invés de criar uma narrativa não condizente com a realidade dos fatos vistos sem embaralho pela população. 

Ela disse ontem, durante entrevista na rádio de sua propriedade, a União FM, que "é muito feio se aproveitar da desgraça e da dor das pessoas para se beneficiar politicamente..." Isso é uma inquestionável verdade quando ocorre. Só que em Camocim isso não ocorre! trata-se de uma afirmação mentirosa e uma explicita tentativa de se criar um factoide com a mera finalidade de afastar as merecidas e necessárias criticas que o governo municipal vem recebendo. 

E por falar na "dor das pessoas", a chefe do executivo municipal esqueceu de dizer que essa dor foi provocada pela falta de medicamentos, de exames, de atendimento no tempo certo, pela "vista grossa" aos absurdos cometidos contra os decretos de isolamento social do Governo do Estado, pela falta de transparência no gasto dos recursos públicos destinados ao combate do vírus... 

Ela chega a ser desrespeitosa quando fala que "a grande maioria das pessoas entende que o mundo inteiro está vivendo uma pandemia e que é preciso "muito mais amor, muito mais carinho, muito mais solidariedade do que conversa mole". Assim a prefeita Monica externa sua necessidade de fazer com que as pessoas entendam e aceitem os escalabros de seu governo gerador de tensão, dor e desespero. É, em outras palavras, o mesmo que dizer: " isso é normal, aguentem!". 

Já  no que diz respeito a " conversa mole", Monica Aguiar fala de si próprio! Ou ela esqueceu das toneladas de alimentos que generosamente a população, inclusive muitos adversários seus, arrecadaram em campanhas para aliviar os impactos sociais provocados pela crise quando "nada" e migalhas a prefeitura distribuía?

Quando a prefeita fala de pessoas que estão "inventando fake news", ela classifica de mentirosos os  pacientes e familiares de pacientes. Pessoas que, não tendo a quem recorrer para garantirem atendimento satisfatório se tratando de saúde, naturalmente se valem dos veículos da imprensa local para fazerem ecoar seus pedidos de socorro. Diga-se: ignorados pela gestão! 

Tentando fazer média com o pessoal da saúde, a senhora prefeita, em sua entrevista disse que "as pessoas que estão atuando em salvar vidas, estão nos postos de saúde, nos hospitais, nas secretarias municipais..." Ela acertou! Só esqueceu de dizer que estas pessoas não estão fazendo favor ao povo e não são voluntárias, são servidores e servidoras públicas, efetivos e contratados, que recebem salário para isso, mas que estão sendo, inclusive, mal remuneradas pela senhora prefeita.

Lembrando: enquanto vários municípios concederam gratificações aos profissionais da saúde, a prefeitura de Camocim não ofereceu nada para os profissionais da linha de frente da pandemia.

A gestora maior do município, ainda durante a sua triste entrevista, tentou alfinetar a oposição garantindo  que os que realmente estão ajudando "não estão pedindo para as pessoas gravarem vídeo para poder dar benefícios pra essas pessoas..." Ela, mais uma vez, agora de maneira mais incisiva, chamou de mentirosos os camocinenses vitimas do coronavírus que gravaram espontaneamente e postaram nas suas redes sociais vídeos relatando os dramas vividos com a falta de assistência do município.

Só pra lembrar: a maioria dos vídeos gravados foram de eleitores da própria prefeita! Motoristas da saúde também reclamaram da falta de Equipamentos de Proteção Individual e até mesmo uma agente comunitária da saúde desabafou em áudio o drama e o constrangimento que enfrenta no dia a dia com pacientes solicitando remédios e a realização de testes não disponíveis nos postos de saúde.

Ainda sobre a gravação de "videos para se beneficiar", essa prática tem sido adotada pela própria prefeita, que tem pedido para pacientes gravarem vídeos institucionais bajulando o seu governo, afim de passar a boa impressão de que tudo vai às mil maravilhas. Lembra quem gravou um vídeo de uma visita na UPA para se beneficiar e divulgou maciçamente nos canais oficiais da prefeitura? 

 "Eu sei que não tem sido fácil pra muitas famílias". Eu tenho consciência das dificuldades que muita gente vivenciou nesses 100 dias.."  Aqui a prefeita Monica Aguiar  fala das dificuldades das pessoas mas ignora o link existente dessas dificuldades com sua gestão. 

Se a senhora prefeita fosse intelectualmente honesta teria dito: " reconhecemos aqui todas as falhas da nossa gestão que evidentemente ajudaram na construção desse cenário de sofrimento e de dificuldades". Mas não!, esquivou-se  e usou de falsa piedade aplicando o apelo para "a empatia,  a generosidade, a criatividade e a garra do povo camocinense para fazer a diferença nessa retomada..."

Esses valores do povo, elencados pela gestora, são fundamentais. Melhor: foram e serão sempre importantes, porém, se o governo municipal não fizer sua parte - e não está fazendo -, cobrar do povo chega a ser abuso. É colocar o fardo pesado do governo nas costas dos camocinenses, sufocando-os até a morte. 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: