segunda-feira, 15 de junho de 2020

Jijoca - Secretário retornou ao cargo depois do escândalo de "propina do parque " como se nada de grave tivesse ocorrido.

Proprietário do Parque denunciou o esquema de corrupção da prefeitura , que escondeu investigação interna e nunca se pronunciou sobre o caso.


Depois de ter se envolvido, em 2019, no escândalo de suposta cobrança de propina no valor de R$ 25 mil de uma tradicional Parque de Diversões que há décadas se instalava em Jijoca de Jericoacoara durante o festejo da padroeira, o secretário da Infraestrutura do Município, Elicar Giele Monteiro, continua exercendo a função de gestor da pasta como se nada de grave tivesse ocorrido na administração municipal através de seu escandaloso protagonismo que chocou toda a região. 

Para se ter ideia, o proprietário do Parque informou que passou 27 anos fazendo essa festa em Jijoca e que somente na gestão Lindbergh começaram os pedidos de propinas.

O proprietário do Parque cedeu entrevista ao radialista Miqueias Santos, da rádio Liberdade FM, 90.3, confirmando o fato e garantido ter todas as conversas com Elicar. 

Apos o vazamento dos áudios, a repercussão e a pressão popular fizeram com que o Chefe do Executivo Municipal, a contragostos, exonerasse  o secretário e o submetesse a uma comissão formada por servidores escolhidos pelos dedos do  próprio prefeito Lindbergh Martins. Ocorre que essa tal  comissão, como já era de se esperar, mesmo diante das robustas provas,  inocentou o secretário da Infraestrutura. 

O relatório final do processo administrativo sequer foi enviado ao conhecimento público, e em 1º Janeiro de 2020, sem mais nem menos, Elicar Monteiro, foi renomeado, através de Portaria, ao cargo de secretário da Infraestrutura.

Alfinetada

Em síntese: 

  • Corromperam os festejos de Santa Luzia de Jijoca. O padre não disse nada!
  • O Empresário do parque  denunciou esquema de corrupção na prefeitura  envolvendo inclusive o Prefeito Lindebergh. Nada aconteceu!
  • O Empresário mostra as provas e entrega os áudios. Ele afirma que passou 27 anos fazendo essa festa e somente agora na gestão Lindbergh foi que começou os pedidos de propinas. O prefeito também nunca se manifestou. 
Como perguntar não ofende: os R$25 mil eram só pro secretário ou não?. 

Renomeação



Nenhum comentário: