quarta-feira, 20 de maio de 2020

Jijoca - Costureira denuncia erro médico e irresponsabilidade da diretora da UPA de Jericoacoara em casos de Covid-19

Diretora quebrou o sigilo do exame da paciente.Filha e mãe idosa com Covid-19 e médico descartou a doença. 




A dona de casa e costureira, Luh Morais, gravou um vídeo denunciando o atendimento da  Unidade de Pronto Atendimento 24h da Vila de Jericoacoara (UPA24h), na qual, segundo a mesma,  ela e sua mãe idosa foram vitimas de diagnóstico médico errado. 

O primeiro atendimento, segundo o relato da costureira, ocorreu no dia 04 de maio. Mãe e filha apresentavam fortes sintomas de Covid-19, mas foram diagnosticadas por um dos médicos da UPA com "Dengue, Zika ou Chikungunya .  "Ele ( o médico) disse que não tinha nenhuma possibilidade da minha mãe e eu estarmos com Covid-19" informou

Com o passar dos dias o quadro de saúde da idosa se agravou e ela foi submetida a um exame de Raio X na UPA que a diagnosticou com pneumonia. Ela foi encaminhada para o Hospital de Jijoca e foi notificada como caso suspeito de coronavírus. O primeiro teste teve resultado negativo, no entanto ela foi transferida para o Hospital Regional de Sobral onde testou positivo e encontra-se internada. 

Na última sexata-feira (15) a filha também foi diagnosticada com pneumonia e testou positivo para Covid-19 na UPA 24 de Jericoacoara. Ela encontra-se em isolamento domiciliar.

Drama e revolta

Além do drama do diagnóstico errado, a paciente que está com a mãe internada no Hospital Regional de Sobral relata que sofreu constrangimento púbico ocasionado pela Diretora da UPA de Jeri, que faltou com ética profissional ao vazar, sem permissão, o resultado de seu exame. 

Eis o relato: 

" (...) Eu vou dizer pra vocês, que a diretora da Upa de Jericoacoara, Alexandra Lima, ela não tem ética profissional, ela estava no portão da  casa dela, com o telefone ligado pras pessoas, dizendo que a Luh Morais, estava com covid.  O meu próprio irmão chegou lá e ouviu ela falar pra patota dela da prefeitura.  (...) Fiquei constrangida, porque essa doença te deixa as pessoas tendo preconceito contigo. Isso eu senti lá dentro da própria UPA, eu me senti um lixo(...)

A costureira diz ainda no vídeo que após a realização do teste, ao chegar em casa, conversou com o prefeito do Município, Lindbergh Martins, que teria lhe garantido que o resultado do exame era sigiloso e caberia somente a ela decidir se tornava público ou não. 

A diretora vazou a informação antes mesmo que a paciente viesse a informar aos seus familiares. 

Mascaras de proteção

Luh Martins pediu desculpas aos seus clientes com quem teve contato durante a confecção das máscaras de proteção. Bastante emocionada, ela justificou não saber que estava com Covid-19, se soubesse, teria evitado contaminar a própria mãe, que é a pessoa que ela "mais ama na vida".

Culpa do Médico.

"O médico errou. A única pessoa que eu vou culpar nesse momento é o médico, que errou no diagnóstico. Ele não deveria ter descartado o Covid-19 em momento nenhum".

Sem acompanhamento e politicagem

No dia 18 de maio a paciente denunciou, através de postagem no Facebook, a falta de acompanhamento por parte da Secretária Municipal da Saúde.

"Estou com Covid 19. Eu e minha mãe. Ela está estável em Sobral, eu estou em casa. O que me deixa chateada é não estar sendo acompanhada pelo sistema de saúde do município. Será que até na saúde eles estão colocando diferença politica?"

Em tempo:

O Revista Camocim voltará a tratar deste assunto noutra postagem. 

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: