sábado, 9 de maio de 2020

Camocim - Bradei quase em prantos (ao SAMU) que meu filho estava morrendo, não era momento pra se apegar a pormenores..."

Segue abaixo o relato de Sr. Aírton Tabosa (foto), pai do jovem Bruno Tabosa, de 21 anos, que faleceu vítima de infarto na terça-feira passada a espera do atendimento do SAMU 192 de Camocim. 

A unidade inaugurada no último dia 26 de marco em Camocim, acumula reclamações por conta da demora no socorro a vítima, o que deveria ser um dos quesitos mais priorizados pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência - SAMU 192.  

"O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), como o próprio nome diz, foi criado para atender aos casos de urgência.

O SAMU, que atende pelo conhecido canal de atendimento 192, "tem como objetivo chegar precocemente à vítima após ter ocorrido alguma situação de urgência ou emergência que possa levar a sofrimento, a sequelas ou mesmo à morte".

Isso é o que se espera de um serviço de pronto atendimento de urgência: o atendimento incontinenti aos chamados que lhe são dirigidos, uma vez que 1 segundo a mais de demora no atendimento representa a diferença entre a vida e a morte.

Acontece que esse princípio que originou o serviço do SAMU não é conhecido pela Unidade de atendimento local.

Infelizmente, nossa família precisou de um atendimento de emergência nesta semana e encontrou a barreira do "protocolo" e da "burocracia". Enfim, o objetivo de 'salvar uma vida' foi posto em 'terceiro plano, colocou-se em frente a burocracia.

Mais precisamente na terça-feira última, ligamos por volta das 8h da manhã utilizando o número 192. E como, após insistentes chamadas não éramos atendidos, corremos até lá(uma vez que residimos a cerca de 100m da Unidade). Minha filha e esposa foram recebidas pela extrema burocracia. Desesperadas, chorando, implorando atendimento, ...mas os servidores de urgência disseram "que tinham de seguir o protocolo" ; 'que elas tinham de ligar para o 192'... Deram-lhe um telefone celular e falaram: vc diz que não está aqui, 'senão, não irão atender'.

Pois bem, foi o que minha filha fez. Mas, pasmem..., quando minha filha falou com a atendente, esta perguntou se ela estava com o paciente a ser atendido, falou que a pessoa estava desmaiada, colocando secreção com sangue pela boca, mas que não estava com o paciente, que ele estava com a esposa num endereço informado no bairro Rodagem do Lago, em Camocim-CE, a atendente disse também que não podia atender, pois a ligação deveria ser realizada pela esposa, onde o paciente se encontrava. Registre-se que naquele momento existiam 3 ambulâncias disponíveis, inclusive, a UTI móvel.

Nesse momento, partimos para o endereço onde se encontrava desmaiado e ainda com sinais de vida o meu filho... Ao chegar no local, vi a esposa do meu filho/paciente desesperada ligando pela 8a vez.. tomei-lhe o telefone, e continuei o insistente chamado... o atendente, dessa vez, queria saber os dados do paciente, como idade, rg, ... para poder liberar o atendimento..., bradei quase em prantos "que meu filho estava morrendo, não era momento pra se apegar a pormenores..."

Nesse momento, após passados mais de 50min de espera do primeiro contato sem atendimento, encontrei 3 'anjos' que ali passavam e que aceitaram me ajudar colocar meu filho no meu próprio carro pra seguir pra Unidade de Saúde (Hospital Dep Murilo Aguiar)... saímos em disparada, com sinal de alerta ligado e buzina acionada, sem respeitar, naquele momento de desespero, os sinais de preferência no tráfego. Infelizmente, ao chegarmos ao Hospital, apesar de sermos bem e prontamente atendidos por aqueles funcionários, meu filho deu entrada na unidade já em óbito.

Por enquanto, estou fazendo esse desabafo para que a Unidade local do SAMU mude urgentemente a forma de atendimento, a fim de que possa alcançar seu objetivo e possa SALVAR outras VIDAS.

Infelizmente, meu filho não teve um pronto atendimento que poderia lhe ter salvado a vida.



 
Via Camocim Portal de Noticias

Nenhum comentário: