terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Tentando, sem conseguir, apagar incêndio

O vereador Emanoel Vieira até que tentou apagar o incêndio sem precedentes provocados pelo vereador Zezinho da Rádio, consistente na sua relação de desafeto com o vereador Dr. Ismael, que regressou polemicamente ao grupo de situação.

O Vieira tentou, em meio as labaredas, apresentar uma imagem falsa de pleno controle das rédeas de situação, afirmando que a opinião de Zezinho em relação a Ismael não representa a opinião de todo o grupo de situação liderado pela prefeita Monica e  o seu esposo deputado. 

OO parlamentar mentiu ainda ao contar a seguinte piada " a bancada segue unida na construção de um projeto ético e politico".

Como já disse em postagem  anterior, o discurso de Emanoel Vieira  não condiz com  realidade. O cabaré de desentendimento corre solto no núcleo  politico da situação, sem que Sérgio e Monica tenham controle. O episódio agressivo do vereador Zezinho com o vereador Ismael é prova disso. 

Ora, Sérgio é conhecido como um líder que não permite "vazamento dos conflitos internos" justamente para não dar combustível aos seus adversários. Seu liderados o temem e não arriscariam "urinar fora do pinico", quando isso ocorre, evidencia-se o descontrole e a quebra da harmonia forçada.

 O fato da agressiva batalha interna entre os pré-candidatos  Leonardo Aguiar e Glauco Aguiar, que lideram alas da situação,  também comprovam a mentira dita por Emanoel Vieira  sobre "união do grupo". 

A parte mais irônica de toda a baboseira dita pelo vereador Emanoel foi falar que seu grupo trabalha em prol de um projeto "politico ético e que Ismael veio pra somar".  Ora, saindo da boca do vereador, tal afirmação deveria ser crime de imediata prisão, pois  o  próprio já confessou  na pro mundo na tribuna da Câmara se  um criminoso a oferecer documentação a justiça. 

Também não está de acordo com a "filosofia dos valores morais" o comportamento do vereador Ismael, a retomar  a aliança com o grupo  de situação cujo o casal líder (Sérgio e Monica) fora denunciado pelo próprio vereador aos vários órgãos da justiça sobre várias acusações de crimes contra a administração pública e crime eleitorais. 

No mesmo compasso, esse grupo não apresenta nada de moral ao aceitar em seu seio, sem mais nem menos, aquele que foi denunciado por trocar perícias por votos,  acúmulo ilegal de cargos, ato ilegal de consulta e distribuição de receitas médicas, realizar várias cirurgias de laqueadura de trompas em pacientes por troca de votos, em desacordo com o Conselho de Medicina.

Se é  esse o projeto  "politico de união, ética e harmônia que Emanoel Vieira diz estar em pleno vigor,  a serviço da população, então ele chama os camocinenses de palhaços, faz confusão com  o conceito de ética e imagina que ser pilantra - pra não dizer outra coisa - é algo  saudável na politica e faz um bem danado pra sociedade.

Carlos Jardel 


Nenhum comentário: