sábado, 1 de fevereiro de 2020

Denúncias de Ismael poderão cassar os mandatos de Sérgio e Monica tornando-os inelegíveis

O vereador Dr. Ismael, em dezembro de 2018,  denunciou ao Ministério Público Federal  o deputado estadual Sérgio Aguiar, acusando-o de ter cometido crime eleitoral para se reeleger,  beneficiando-se das contratações de servidores temporários da prefeitura de Camocim. Para Ismael, segundo a denúncia, a prefeita Monica Aguiar, esposa de Sérgio, contratou os temporários em troca de votos para o marido. Além disso, os temporários eram obrigados a trabalhar nas ruas  durante a campanha eleitoral, empenhados na missão de conquistar votos para garantir mais uma reeleição do então deputado. 

O Juiz David Sombra Peixoto, do Tribunal de Justiça Eleitoral do Ceará, relator da denúncia contra Sérgio Aguiar, deverá colocar  o  processo  em pauta para julgamento da Corte neste mês de fevereiro. O parlamentar poderá ter o diploma de deputado cassado e ficar inelegível até 2026 e ainda poderá pagar multa em até R$ 393 mil reais.

Mais denúncias 

Em 2019 Ismael também denunciou a prefeita Monica aos órgãos da Justiça , pedindo que fossem barradas as contratações ilegais promovidas pela gestora. Ele também exigiu da prefeita, através da denúncia,  a nomeação dos candidatos aprovados no último concurso público remanescentes dentro do número de vagas e os que figuram no cadastro de reservas.

Outra denúncia contra a prefeita, protocolado pelo vereador,  é referente a um empréstimo milionário de R$21.000.000,00 (vinte e um milhões de reais) que, segundo o mesmo, deverá ser utilizado  pela  Chefe do Executivo neste ano de campanha eleitoral, com  o claro objetivo de beneficiar a campanha  do candidato a prefeito que irá disputar o pleito de sucessão. 

As denuncias de Ismael poderão resultar também na condenação da Prefeita Monica por improbidade administrativa, bem como perder o mandato e ficar inelegível.

Os s vereadores Juliano Cruz, Júlio César Sotero, Erasmo Gomes e  Oliveira da Pesqueira também protocolaram as denúncias. 


Carlos Jardel 

Nenhum comentário: