quarta-feira, 15 de janeiro de 2020

Lixões e queimadas no bairro Tapete Verde, sem iluminação pública e sem calçamentos, o que fazer?



A prática do descarte de lixo no bairro Tapete Verde, em Camocim, é algo constante. Os moradores e, principalmente, as crianças e bebês sofrem com as fumaças e o mal cheiro insuportável, fruto da ignorância de alguns indivíduos. Situado, especificamente, à rua Travessa 1º de Maio, a poluição desse local é desenhada, sobretudo, com a participação de carroceiros e populares mal-educados que jogam lixo, entulhos, animais mortos (cachorros e gatos) e poluem este ambiente, que dá acesso principal ao bairro Boa Esperança. “Não aguentamos mais”, dizem os moradores. Além disso, vale destacar que bem próximo há uma microempresa de água que abastece o comércio local, casas e todo o povo de Camocim.

De modo geral, é importante salientar que de acordo com o artigo 54 da Lei nº 9.605 de 1998, Lei de Crimes Ambientais, quem “causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a mortandade de animais ou a destruição significativa da flora, pode gerar pena – reclusão, de um a quatro anos, e multa”. Portanto, os residentes do bairro pedem mais respeito e consciência ecológica com o meio ambiente. E para variar, nesta rua não há calçamento nem iluminação pública e, enquanto isso, os moradores assistem o descaso e omissão do poder público municipal. “Queremos nossa rua pavimentada e iluminada, afinal nossos impostos servem para isso”, afirmam os moradores.

Carlos Jardel


Nenhum comentário: