terça-feira, 3 de dezembro de 2019

Empréstimo milionário e contratos eleitorais são presentes bombas para a população!

A senhora prefeita de Camocim, Monica Gomes Aguiar - porque tem em mãos pesquisas internas-, sabe que seu governo nunca decolou no sentido de agradar a fatia mais generosa da população e do eleitorado. Para além do "feijão com arroz", que todo e qualquer prefeito precisa fazer, o governo Aguiar ficou marcado por passos falsos na gestão da máquina. Foi uma evolução medíocre e ao mesmo tempo uma involução!. Poderia aqui escrever linhas e mais linhas detalhando as palhaçadas, canalhices e os indícios de corrupção cometidos pelo governo da prefeita de Camocim, mas, como diz a máxima comercial, neste tempos: "é natal e  quem ganha o presente é você!"

Deve ter sido pensando nisso que a prefeita resolveu presentear com duas bombas os de natal os  camocinenses.  Pois não é que a mesma, já no  final de seu segundo e - graças a Deus, último mandato -, resolveu emplacar dois projetos polêmicos administrativos com cheiro de marmelada, ou melhor: com catinga de corrupção!.  Um empréstimo  de R$21 milhões  e a contratação temporária de servidores. E tanto o empréstimo como a contratação serão destrinchados no próximo ano, de acirrada disputa em torno da prefeitura.

Para quem vem sobrevivendo, agonizando, há  um ano, com as marcas do pé na bunda, o presente é uma espécie de bico, com data pré-agendada para o outro pé na bunda. Já o empréstimo milionário não chega a ser um presente para os seus eleitores, e muito menos para a população, mas sim um ato, sutil de colocar a mão no bolso e ferrar  os camocinenses, pois é o povo quem irá pagar com juros e correções monetárias essa empréstimo. 

Mas quer saber quem ganhou o presente? o candidato a sucessão de Monica - que ninguém ainda sabe quem é -. Não existem dúvidas de que estamos diante de mais uma tremenda jogada desonesta de campanha eleitoral, em que a senhora gestora utiliza, descaradamente, a máquina pública para beneficiar o seu candidato a sucessão nas eleições de 2020. 

É de simples compreensão: a prefeita monta seu exército, empregando os que estavam inconformados  com o "pé na bunda" e paralelo a isso utiliza parte dos R$ 21 milhões, fruto do empréstimo, criando canteiros de fachadas, para impactar na opinião pública. 

E mais claro que a intenção da prefeita  com esses dois projetos é a previsão do futuro: pouca coisa ou nada será concluída com o fruto do empréstimo, isso sem falar nos possíveis superfaturamentos, na falta de transparência dos processos. Além disso teremos o glorioso  pé na bunda dos contratados, o rombo nos cofres públicos para ser pago por quem vier a ser o prefeito ou a prefeita de Camocim nos próximos 04 anos.

Um belo presente de Natal! 

Antes de concluir, vai aqui uma alfinetada nos tolos amestrados de plantão, que  por mais que esperneiem rejeitando o que está explicito, eles só conseguem avançar com a demência que lhes é peculiar e em mais nada, absolutamente nada...

Carlos Jardel

Nenhum comentário: