sexta-feira, 20 de dezembro de 2019

Barco de pesca de Itarema continua sem comunicação.

A embarcação de Itarema, “Isan Maru III” continua  sem comunicação e sem emissão de sinal satélite.  O comandante da Capitania dos Portos de Camocim, Capitão-Tenente Ricardo Corrêa Peixoto, disse que não se sabe  ainda a situação real dessa embarcação. "Pode ser um defeito de máquinas, falha de equipamento, dentre outras razões. Contudo, por via das dúvidas, esta Agência já acionou a rede de Busca e Salvamento (SAR) para contatar visualmente essa embarcação e prestar o apoio necessário. Um Navio da Marinha já está engajado na missão", disse.

A Marinha do Brasil, ontem, quinta-feira (19), através do Comando do 4º Distrito Naval, mediante sua Assessoria de Comunicação, publicou a seguinte nota à Imprensa

Nota 

"O Centro de Controle está com o Salvamar Norte em Belém, e o Subcentro com a Capitania dos Portos do Piauí, uma vez que a última posição satélite estava inserida na área do 4° Distrito Naval. 

Estamos mobilizando outras embarcações pesqueiras para prestar o apoio que se fizer necessário. 

Maiores informações poderão ser obtidas por meio da Capitania dos Portos do Piauí. 


A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 4º Distrito Naval (Com4ºDN), informa que recebeu uma comunicação, na noite do dia 16 de dezembro, dando conta do desaparecimento da embarcação “Isan Maru III”, que saiu no Porto dos Barcos, em Itarema-CE, no dia 15 de dezembro, para realizar atividade de pesca.

Segundo o responsável pela embarcação informou, no último contato com terra, realizado no dia 15 de dezembro, a tripulação da embarcação, composta por seis pessoas, informou que estava voltando para o Porto dos Barcos. A última localização conhecida era de aproximadamente 193 km da Vila de Jericoacoara-CE.

Assim que a Marinha tomou conhecimento do ocorrido, acionou o Serviço de Busca e Salvamento (SALVAMAR) Norte, enviando o Navio Patrulha Bracuí e uma aeronave Super Cougar, subordinada ao 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral do Norte, até o estado do Piauí para atuar nas buscas pela tripulação e embarcação. Além disso, a Marinha tem requisitado Navios Mercantes que passam pela área para que os mesmos também contribuam nas buscas, da mesma forma que pescadores e demais membros da comunidade marítima também estão empenhados no resgate da embarcação, sob a coordenação do SALVAMAR Norte.

A Marinha do Brasil conclama a sociedade a participar ativamente nesse esforço de fiscalização, informando qualquer situação que possa afetar à segurança da navegação, a salvaguarda da vida humana no mar e vias navegáveis ou que represente risco de poluição ao meio hídrico, por meio do Disque Emergências Marítimas e Fluviais: 185".

Carlos Jardel

Nenhum comentário: