terça-feira, 10 de setembro de 2019

Polícia indicia seguranças por chicotear jovem negro

A Polícia Civil de São Paulo indiciou David de Oliveira Fernandes 37 anos, e Valdir Bispo dos Santos, 49 anos, ex-seguranças do supermercado Ricoy, por chicotear um jovem negro de 17 anos, após ele tentar furtar um chocolate. O adolescente foi levado nesta segunda-feira (9) para o 80º Distrito Policial, da Vila Joaniza, zona Sul de São Paulo, e reconheceu seus agressores. Eles estão presos temporariamente.

Valdir Bispo dos Santos se entregou à Polícia Civil neste sábado (7). O outro investigado, David Oliveira Fernandes, já havia sido preso na sexta (6).

A ordem de prisão temporária - por cinco dias prorrogáveis - partiu da juíza criminal Tatiana Saes Valverde Ormeleze e acolhe representação da Polícia Civil de São Paulo. A magistrada também autorizou buscas e apreensões contra os investigados.


Acolhimento

Segundo o advogado Ariel de Castro Alves, conselheiro do Condepe (Conselho Estadual de Direitos Humanos), "desde sexta-feira, dia 6, o adolescente foi incluído no serviço de acolhimento". "Ele está num abrigo da rede socioassistencial da Prefeitura de São Paulo. O encaminhamento foi feito pelo Conselho Tutelar da Cidade Ademar e pelo Centro de Referência da Assistência Social" afirma.

"Nos próximos dias o jovem deve ser incluído no PPCAAM- Programa de Proteção de Crianças e Adolescentes Ameaçados. A inclusão dele no Programa já foi solicitada pelo Conselho Tutelar e pelo Creas. A Vara da Infância e Juventude de Santo Amaro também acompanha o caso. Familiares do jovem reclamaram de ameaças e de que foram procurados por pessoas desconhecidas. O menino estava morando com um irmão dele, que foi favorável ao acolhimento dele num abrigo", diz Castro Alves.

Veja também! 'Chocante é o apoio à tortura de quem furta chocolate', diz advogado que acompanha jovem chicoteado

Ariel ainda dá conta de que o "adolescente de 17 anos torturado no mercado Ricoy esteve na última quinta-feira, dia 5, acompanhado de seu irmão Wagner Bispo de Oliveira, 30 anos". "No Conselho Tutelar da Cidade Ademar. Lá foram atendidos por 4 conselheiros tutelares. O conselho tutelar encaminhou o adolescente para acompanhamento Psicossocial junto ao Creas (Centro de Referência da Assistência Social) e o Centro de Apoio Psicosocial (Caps)".

"Um relatório sobre a situação de risco do menino, que vivia nas ruas e usava drogas, foi encaminhado para a Vara da Infância e Juventude de Santo Amaro, que acompanha caso", afirma o conselheiro do Condepe.

"O pai do jovem faleceu no início desse ano e a mãe, conforme os familiares, sofre de alcoolismo e não foi localizada pelo Conselho Tutelar. Na última terça-feira, dia 3, pedi para os membros do Conselho Tutelar da Cidade Ademar para que acompanhassem o caso, com apoio e proteção através de encaminhamentos sociais e de atendimento psicológico ao adolescente", relata Ariel.

Depoimento

O rapaz afirmou que, no mês passado, "em data que não recorda, "dentro do Supermercado Ricoy, instalado no local dos fatos, onde apanhou das gôndolas uma barra de chocolate e tentou sair sem efetuar o pagamento". "Foi abordado na saída pela pessoa de Santos, segurança do local, o qual conhece já há algum tempo".

"Ele foi auxiliado por Neto que juntos levaram a vítima até um quarto nos fundos da loja", narrou.

O jovem acrescentou. "Ali a vítima foi despida, amordaçada, amarrada e passou a ser torturada com um chicote de fios elétricos trançados. Ali, permaneceu por cerca de quarenta minutos, sendo agredido o tempo todo".

Nenhum comentário: