segunda-feira, 8 de julho de 2019

A Copa do Cebolinha

Sem surpresas na final da Copa América. O Brasil bateu o Peru por 3 a 1, ontem, no Maracanã e ficou com o título do torneio pela nona vez, mantendo a tradição de sempre conquistá-lo quando joga em casa.

Desde 2013 que a Seleção Brasileira não ganhava uma taça. Com a falta de empolgação de parte da torcida brasileira com o torneio continental, a edição deste ano teve mais importância para alguns personagens em específico que propriamente para o coletivo.

Para Tite, por exemplo, significou a manutenção da confiança. Do torcedor, da CBF - que já havia garantido permanência independentemente do resultado -, e dele mesmo nas próprias convicções. Foi também seu primeiro título desde que assumiu a Seleção Brasileira.

Para Daniel Alves, escolhido o melhor do torneio, que aos 36 anos mostrou ter ainda plenas condições de jogar em alto nível. Apesar da qualidade do futebol apresentado na Copa América ter sido bastante contestado, quando foi mais exigido, como diante da Argentina, o lateral-direito correspondeu à expectativa.

A atuação que mais chamou atenção, no entanto, foi a do cearense Everton Cebolinha. Natural de Maracanaú e revelado nas categorias de base do Fortaleza, o atacante de 23 anos sai da competição maior do que entrou.


De um reserva com muito potencial para mudar a cara do jogo quando fosse lançado a campo, passou a ser a esperança do desequilíbrio a favor da canarinho. Ganhou cedo a posição de David Neres, jogou todas as partidas, tendo sido escolhido o melhor em campo (por votação popular) duas vezes. E ainda se tornou o artilheiro da Copa América, com três gols, ao lado do peruano Paolo Guerrero.

No radar de gigantes europeus, Cebolinha está ainda mais valorizado e a diretoria do Grêmio, que antes mesmo do torneio já afirmara que não venderia o atleta por menos de 80 milhões de euros, o que corresponde a algo em torno de 343 milhões de reais, deve ser ainda mais criteriosa quanto às propostas que devem chegar.

O Fortaleza fica de olho nas investidas pelo jogador, uma vez que detém 10% dos direitos econômicos dele. A porcentagem foi repassado ao ex-presidente e hoje senador Luís Eduardo Girão, como garantia da quitação de um empréstimo de R$ 6 milhões ao clube em 2017. Porém, existe um acordo que o excedente deste valor será repassado ao Fortaleza em caso de concretização de venda do atleta.

"Só tenho a agradecer este momento. À minha família, que sempre esteve do meu lado. Sem eles nesse eu não seria nada. No último jogo, fui apagado e fiquei chateado, mas hoje eu botei na cabeça que ia dar o sangue. Fiz gol e sofri o pênalti no final", disse Everton, logo após a conquista do título.

Ele abriu o placar aos 14 minutos, completando um cruzamento de Daniel Alves para o gol. O Peru empatou em cobrança de pênalti, aos 43, com Paolo Guerreiro, mas ficou atrás no placar novamente cinco minutos depois, quando Gabriel Jesus recebeu de Arthur e, cara a cara com o goleiro, marcou o segundo. No segundo tempo, aos 44, cobrando pênalti, Richarlison fechou a conta. Ele entrou após Gabriel Jesus ser expulso.

Nenhum comentário: