terça-feira, 11 de junho de 2019

Camocim - ajuda de custo para as quadrilhas juninas defasou.

Quando a prefeitura aborda a temática do festival junino, sua preocupação principal é de apresentar as atrações musicais - as famosas banda de forró -,  de tal modo que acaba fazendo puco caso das principais atrações do festival, que são, indiscutivelmente, as quadrilhas juninas. O poder municipal acaba ignorando o trabalho árduo dos grupos que durante seis meses, ou até mesmo um ano, se organizam criando uma grande estrutura, que parte do cunho intelectual, passando pela pesquisa histórica, confecção de figurino, coreografias, teatro, regional musical, incontáveis ensaios e estressantes reuniões.

É um período em que os membros das quadrilhas, principalmente os diretores, ingressam numa rotina diária intensa, principalmente quando a data de apresentação no evento se aproxima. No entanto, são apenas as  polemicas "bandas de forró" os grandes enfoques, antes, durante e depois do festival.

Para se ter um ideia do trato prático oferecido aos quadrilheiros, a prefeitura colabora com uma ajuda de custo no valor de R$5,000 (cinco mil reais) que não representa, provavelmente, sequer 10% do que uma quadrilha junina adulta investe para se manter abrilhantando o festival. E pra piorar, esse valor é repassado somente após o tumulto dos preparativos decorrentes do tradicional Quadrilhão, neste ano agendado para acontecer no dia 30 de julho. 

Ou seja, os diretores das quadrilhas, com os demais membros, precisam se "virar no trinta" para poderem honrar os compromissos firmados no percurso de preparação, dentre eles a confecção de roupas, cenários, figurinos etc. E vale ressaltar que a imensa maioria dos quadrilheiros são jovens, estudantes, desempregados, e boa parte dos que já trabalham são assalariados. 

Sem falar que esse valor é o mesmo há vários anos. Está defasado. Vários produtos e serviços aumentaram nos últimos anos, elevando custos que a importância financeira oferecido  pelo poder municipal  não consegue acompanhar. Resumindo a ópera: tudo aumenta, menos a ajuda de custo. Mas, como a palavra dos quadrilheiros, diante da questão não influencia em nada, segue o bonde...

Carlos Jardel 

Nenhum comentário: