terça-feira, 14 de maio de 2019

Alunos do Alba Maria sem aulas de história e português desde o início do ano letivo.

Alunos da Escola de Ensino Fundamental Alba Maria estão sendo extremamente prejudicados pela falta de professores de português e História. Desde o início do ano letivo que a escola não dispõe destas disciplinas. Vários pais de alunos, ao assinarem os boletins escolares de seus filhos, se assustaram ao perceber que não constava registro algum de notas referentes as disciplinas em questão.

Professores, constrangidos, que conduziam a reunião com os pais, ainda tentaram amenizar a situação com a pífia e falsa justificativa de que os alunos "não estavam sendo prejudicados" e que a escola iria "dar um jeito de repor as aulas logo que tudo fosse resolvido.

Muitos pais, naturalmente revoltados, ameaçaram pressionar a Secretaria Municipal da Educação, mas foram "engabelados" pela coordenação da escola, que teria pedido "paciência". 

Alfinetada

Antes de mais nada: dane-se a justificativa da direção da escola, e melhor ainda: dane-se a justificativa do Governo Municipal. 

1- Os pais tem todo o direito do mundo de cobrar.

2- Já estamos praticamente na metade do ano letivo, o atraso é gigantesco e leva a questionar a qualidade do ensino dos alunos.

Perguntas:

3- Se existe carência de professores - e existe, de fato - por que a senhora prefeita não disponibilizou vagas no concurso que realizou em 2018? 

- Se a carência da professores tivesse sido contemplada no concurso de 2018, neste ano, 2019, esse problema não existiria. 

4- Por que não convoca os classificáveis dos dos dois concursos?

5 - Mesmo assim, se por acaso os classificáveis não atendem a demanda, por que não apesentou na Câmara um projeto de Lei pedindo permissão para contratar excepcionalmente professores em caráter temporário, para não sacrificar a Educação, que é um serviço essencial? 

6 - Em todo caso, por que a senhora prefeita não realiza mais um concurso para a Educação?

7 - Por que a prefeita ainda não dialogou com o Legislativo Municipal e com o Ministério Público, para, "provisoriamente", resolver a demanda ? 

Respondendo a todas as perguntas: 

Se fosse ano de eleição, a prefeitura teria dado "bana pra Justiça", pro Ministério Público, pra oposição, como sempre faz, e contratado professores mediante projeto de lei ou até mesmo na "tora", em troca de votos. Mas como não teremos campanha eleitoral neste ano de 2019, a prefeitura resolveu sacrificar a educação dos alunos. 

Carlos Jardel

Nenhum comentário: