terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Perseguidor politico de enfermeiras diz : "quem manda sou eu"

O Ilustre Genérico Honorifico Camocinense, Fernando Fernandes, Secretário Municipal da Saúde de Camocim, realizou ontem (29) uma reunião com as equipes das unidades de saúde das comunidades de  Guriú, Tatajuba e Tucuns. Motoristas, médicos, enfermeiros, técnicos de enfermagem das equipes foram convocados para ouvir as novas orientações do Gestor da Saúde, destinadas exclusivamente para estas três unidades. Saiba:

- Ele ordenou o horário do atendimento ao público, que agora passa a ser durante toda a semana, de segunda a sexta,  nos horário de 7h30min às 11h30 e  das 13h30min às 17h30min.

- Ele proibiu os profissionais de atenderem quem quer seja fora destes horários, sob pena de punição administrativa.

Por exemplo: se um paciente estiver agonizando e procurar o posto de saúde às 17h32 minutos, essa pessoa ficará sem atendimento e poderá até morrer, mas por determinação do Secretário e da Prefeita Monica Aguiar, esse paciente ficará sem atendimento.

Entenda 

1 - Antes, os profissionais que atendiam nas unidades em questão trabalhavam somente até quinta-feira pela manhã. Na tarde eles retornavam para Camocim, onde passavam o final de semana com seus familiares.  E isso ocorreu durante os seis anos do Governo Monica sem nunca ter sido questionado.

2 - Antes, os profissionais que atendiam nas unidades em questão não eram "perseguidos politicamente", alguns até jogavam no "time da prefeita".

3 - As novas regras do secretário da saúde é parte de um plano que persegue politicamente as enfermeiras Maria de Jesus (Guriú), Iracema Gonçalves (Tucuns), ex-secretária da Saúde e nora do ex-prefeito Chico Vaulino e Jamile Késia (Tatajuba), casada com um primo do vereador da oposição Juliano Cruz.

Mais

Quando os profissionais questionaram  o horário de trabalho de 7h30, que é ilegal para o Ministério do Trabalho, o Secretário disse:  "quem manda sou eu".  E quando uma das enfermeiras questionou  a diferenciação da carga horária dos profissionais dessas três unidades para  as demais, ele respondeu novamente: "quem manda sou eu". E disse que  irá "monitorar em visitas constantes e repentinas essas três unidades".

Ele também ordenou que o carro que transporta os profissionais deve sair da secretária, pontualmente, sem atrasos,  às 07h. Quem se atrasar pegará falta. E quem não cumprir as "ordens do secretário" será levado ao Ministério Público e Juizado através de um processo de perda do concurso.

Ao lado do Secretário, na reunião, estava o chefe da Gestão Administrativa da prefeitura, Cleile Júnior, que por diversas vezes foi questionado sobre as novas determinações, mas que não soube ou não quis responder a nenhuma. Apenas dizia que não sabia, e por fim, disse que estava "ficando burro".

Alfinetada

Será que o Secretário está preocupado com a saúde da população? Obviamente que não.  Nem ele e nem a prefeita Monica. A preocupação é neutralizar toda e qualquer ação das enfermeiras, que já se comprometeram publicamente em ajudar as famílias das respectivas comunidades através de serviços voluntários.

O Secretário é contra o serviço voluntário em prol das famílias carentes e desassistidas pela gestão da prefeita Monica.  Ele se incomodou logo que as enfermeiras Jamile e Iracema anunciaram nas redes sociais suas intenções de ajudarem na promoção das comunidades.

Ele nunca havia pisado nos Tucuns. E fez isso logo que soube que a enfermeira Iracema estava articulando uma grande ação comunitária na localidade.

O Fernando Fernandes faz o jogo politiqueiro. Optou por isso. Deixou de ser gestor. E quando tenta ser, não sabe. A pasta da saúde é a pior de todas do Governo. A prefeita desrespeita a população com a permanência dessa figura tão inexpressiva e sem dinâmica alguma para lidar com questões tão serias que envolve diretamente a vida das pessoas, principalmente das mais simples.

O secretário da saúde, como já disse outras vezes, deveria pedir pra sair do Governo. Seria sua atitude mais nobre.

Carlos Jardel



Nenhum comentário: