segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Entidades publicam Manifesto Ecumênico em Defesa da Democracia


Vivemos em tempos de ódio no Brasil, de um caos democrático e eleitoral como a primeira face do fascismo. Mais uma vez, bandeiras religiosas historicamente vinculadas à solidariedade, à comunhão e à tolerância têm sido distorcidas para apregoar o ódio e a violência. Os anais da história registram os nomes de homens e de mulheres que não abriram mão de uma espiritualidade de resistência. Entre os católicos romanos não podemos nos esquecer do frade brasileiro, cearense, Frei Tito de Alencar Lima, que tornou-se alvo de perseguição pela repressão militar. Na prisão, escreveu sobre a sua tortura, quando submetido à palmatória, choques elétricos por todo o corpo e queimaduras na pele com brasas de cigarro. O documento correu pelo mundo e se transformou em símbolo da luta pelos direitos humanos. Traumatizado pela tortura, Tito submeteu-se a tratamento psiquiátrico. Nas ruas da capital francesa, ele “viu” o espectro de seus torturadores e cometeu suicídio aos 28 anos de idade. De fato, Tito não cometeu suicídio. Ao receber o corpo dele em São Paulo em 1983, Dom Paulo Evaristo Arns declarou: “Frei Tito buscou do outro lado da vida a unidade perdida deste lado”. 

Outro ícone da democracia, Frei Betto, preso duas vezes, nos cárceres da ditadura militar brasileira, também foi torturado não fisicamente, mas psicologicamente na prisão. Interrogado num tribunal militar, o frei dominicano, respondeu ao Secretário de Segurança Pública Jaime Mariath, cumplice do aparelho repressivo e torturador. Beto exclamou: “No capítulo 25 do evangelho de São Mateus, quando perguntaram a Jesus quem se salvará, ele não diz que serão os crentes, os padres, os ricos que ajudam a construir igrejas ou os democratas-cristãos. Diz: ‘eu tive fome e me destes de comer, tive sede e me destes de beber… Os justos perguntarão: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te alimentamos, com sede e te demos de beber? Ao que Ele lhes responderá: a cada vez que o fizestes a um desses meus irmãos mais pequeninos, a mim o fizestes’. Portanto, são as atitudes bem concretas em prol da justiça que nos salvam”. Madre Maurina, membro da Congregação das Irmãs Franciscanas da Imaculada Conceição, foi à única freira presa e torturada durante o período ditatorial do Brasil. O teólogo, educador, escritor Rubem Alves e que foi um pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil, foi duramente perseguido pela ditadura. Os próprios pastores colegas de ministério num tribunal eclesiástico o acusaram de pecados como comunismo e desprezo pela reta doutrina protestante. 

Hoje, no Brasil, a conquista da liberdade religiosa, postulado fundamental dos direitos humanos, e que inclui em si até mesmo o direito inalienável de não professar nenhuma religião, se vê ameaçado pela escalada do fascismo em nossa sociedade, sendo alvo expresso de movimentos intolerantes contra expressões religiosas minoritárias e grupos secularmente oprimidos. Ao invés de estender as mãos aos que mais precisam, e de celebrar as diferenças que nos tornam singulares, a religião mais uma vez tem sido assaltada pelos interesses espúrios de quem quer ver um mundo uniforme e descolorido. No momento mais grave de nossa história recente, não é possível vacilar contra as intimidações do autoritarismo e da mordaça. Em todos os povos e culturas é possível perceber que, se por um lado as religiões foram usadas como pretexto para todo tipo de opressão, também o fora ela o bastião de lutas e força da resistência de tantos outros. Os discursos moralistas entoados não passam de uma farsa, uma hipocrisia, um cinismo peculiar aos que pretendem aniquilar toda a pluralidade da vida humana. O silêncio agora seria mais uma expressão de condescendência, e por isso precisamos ter clareza sobre o passado que nos rodeia. Como cantou Gonzaguinha, trata-se de trazer à tona a “memória de um tempo onde lutar por seu direito é um defeito que mata”. 


O poeta brasileiro Thiago de Mello acorda coragens em seu poema: “Faz escuro, mas eu canto, porque a manhã vai chegar. Vem ver comigo, companheiro, a cor do mundo mudar. Vale a pena não dormir para esperar a cor do mundo mudar. Já é madrugada, vem o sol, quero alegria, que é para esquecer o que eu sofria. Quem sofre fica acordado defendendo o coração. Vamos juntos, multidão, trabalhar pela alegria, amanhã é um novo dia”. Dom Pedro Casaldáliga, quando escreveu: “A paz que inquieta” nos curou da dormência: “Dá-nos, Senhor, aquela PAZ inquieta. Que denuncia a PAZ dos cemitérios. E a PAZ dos lucros fartos. Dá-nos a PAZ que luta pela PAZ! A PAZ que nos sacode. Com a urgência do Reino. A PAZ que nos invade, com o vento do Espírito...”

Há um mundo que interessa a poucos: com mais prisões e menos escolas; imerso na paranoia da insegurança; em produção constante de inimigos; que ergue muros, cada vez mais altos e resistentes, para nos proteger do desconhecido; onde muitos perdem para que alguns ganhem; que fabrica armas e deflagra guerras sob o discurso da paz.  Mia Couto nos revela: há quem tenha medo que o medo acabe. Esse é o mundo adoecido em que vivemos, mas não pode ser o mundo que queremos. Há muitas fronteiras que nos separam. Confortáveis, por tantas vezes somos incapazes de perceber que essas barreiras não existem, mas foram criadas para manter privilégios e regalias por um alto preço: a vida dos que sustentam esse sistema desumano. Todavia, existem alternativas plausíveis, e basta um olhar mais atento e interessado para enxergá-las. Se muitas oportunidades foram dadas para acentuar esse desequilíbrio, em todos os tempos também foi possível vencer a exploração do homem e alcançar a igualdade. Esse é o nosso tempo. Essa é a nossa urgência de fazermos uma análise sócio política-crítica e elegermos um candidato à presidência que defenda a democracia, a construção de um outro mundo possível com base nos princípios do bem-viver, do respeito mútuo e amor ao próximo. Nosso posicionamento é sermos contra o candidato presidenciável Jair Messias Bolsonaro, antidemocrático, com posturas nazifascistas, inflando radicais, incitando ódio, preconceitos e promovendo a barbárie no país. 

Brasil, 11 de outubro de 2018


1. Marcelo Gomes dos Santos – Pastor da Igreja Betesda de Sobral/CE
2. Yago Renan Licarião de Souza – Advogado de Direitos Humanos, João Pessoa-PB
3. Francisco Silva de Sousa – Coordenador Regional da CPT/CE
4. Ricardo Gondim Rodrigues – Pastor da Igreja Betesda, São Paulo/SP
5. Mardes Pereira da Silva - Presidente da Convenção Betesda do Ceará
6. Dirceu Luiz Fumagalli – Padre, Vigário da Rede de Comunidades Madre Leonia. Diocese Londrina/PR
7. Sostenes Cezar de Lima – Docente na Universidade Estadual de Goiás (UEG). 
8. Wanderlan Gomes de Souza – Pastor da Igreja Betesda de João Pessoa/PB
9. Priscilla Melo Ribeiro de Lima – Docente na Universidade Federal de Goiás. 
10. Johny Menezes Loiola - Funcionário Público e pastor na Igreja Betesda em Fortaleza/CE
11. Israel Rocha Brandão, Docente da Universidade Estadual Vale do Acaraú (UVA -CE)
12. James Cley Lima da Silva – Pastor da Igreja Betesda de Juazeiro/CE
13. Maria Leny Brito da Silva – Pastora da Betesda em Jaguaribe/CE
14. Iago Cavalcante Araújo - Docente da Universidade Federal do Ceará.

15. Maria Ivonilde de Sousa Coelho – Representante de Povos de Terreiro, Sobral/CE

16. Mãe Nilda Oxossi – Representante de Povos de Terreiro, Sobral/CE

17. Álvaro Jansen Viana da Silva – Pastor na Igreja Betesda Fortaleza/CE

18. (In Memoriam) Pe. João Batista de Souza Mesquita, presbítero da Diocese de Sobral/CE. 

19. Márcio Oliveira Cardoso – Músico, compositor, professor e pastor na Igreja Betesda Fortaleza.

20. Josué Oliveira Gomes - Taxista e pastor na Igreja Betesda em Maceió/AL

21. Daniel Dantas Lemos - Docente da Universidade Federal em Natal/RN 

22. Karine Maia de Oliveira Loiola – Coordenadora Pedagógica.

23. Roberto Amorim – Igreja Batista da Proclamação – Salvador/BA

24. Marcos Aurélio dos Santos – Coordenada a Frente Evangélica pelo Estado Democrático.

25. Rodrigo Rocha Medeiros – Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB) RN

26. Carlos Alberto Herrera – Primeira Igreja Batista de Mossoró/RN

27. Leopoldina Menezes – Espirita, Salvador/BA

28. Otacílio de Pontes Lima – Pastor da Igreja Betesda Cidade 2000 – Fortaleza/CE.

29. Maria José Spindola Alcântara – Igreja Presbiteriana Cidade Satélite – Natal/RN.

30. Ariovaldo Lopes Pereira – Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG).

31. Elienai Cabral Júnior – Pastor da Igreja Betesda de Fortaleza/CE

32. Marcos Carvalho – Psicólogo no Instituto Federal de Goiás

33. Muriel Romeiro – Psicóloga na Prefeitura de Anápolis/GO

34. Igor Barreto de Menezes Pereira – Defensor Público, católico, cristão – Sobral/CE

35. Aletuza Gomes Leite – Igreja Batista Nazaré, Salvador/BA

36. Jorge Luiz Nery de Santana – Igreja Batista Nazaré, Salvador/BA

37. Antônio Roberto Gomide – Deputado Estadual, Goiás/GO.

38. Heitor Martins Pasquim – Docente na Universidade Federal de Goiás. 

39. Joaquim Marques Cavalcante Filho – Comunidades Eclesiais de Base de Coreaú/CE.

40. Maria José Ferreira – Comunidades Eclesiais de Base de Coreaú/CE

41. Cândido Alves Barbosa – Comunidades Eclesiais de Base de Coreaú/CE. 

42. Lucas Brandão – Poeta de Goiânia/GO

43. Sadrak de Lima Santos – Bacharel em Direito – Igreja Betesda de João Pessoa/PB

44. Pe. Luiz Couto – Deputado Federal – João Pessoa/PB

45. Wilton Batista de Souza – Bacharel em Direito – Portugal. 

46. Claudemir Silvino da Silva – Técnico em eletrônica – membro da Igreja Betesda de Sobral/CE

47. Edvandra Regino da Silva – Pedagoga – Igreja Betesda de Sobral/CE

48. Lauro Francisco de Souza – Aposentado – Igreja Betesda de Sobral.

49. Maria Aparecida Silva de Souza – Autônoma – Igreja Betesda de Sobral/CE

50. Samarone Silva de Souza – Estudante de Direito e estagiário, Sobral/CE

51. Sheila Mara Pedrosa – Docente no Centro Universitário de Anápolis. 

52. Isabel Cristina Forte – Da Caritas Arquidiocesana de Fortaleza/CE

53. Padre Lino Allegri – Da Pastoral do Povo da Rua da Arquidiocese de Fortaleza/CE

54. Maria Lucimar Rodrigues Carneiro – Pedagoga, Sobral/CE

55. Ingo Cavalcante Dias Araújo – Estudante de engenharia civil – UVA, Sobral/CE
56. Cristina Santos da Silva – Pedagoga, Igreja Betesda de Sobral/CE
57. Daniel de Brito – Dr. Em Bioquímica, Sobral/CE
58. Alex Marques Magalhães – Técnico mecânico – Igreja Betesda Vila das Flores/CE
59. Jaina Viana Magalhães – Secretária, Igreja Betesda, Vila das Flores/CE
60. Pe. Lopes de Icapuí – Professor da Rede Pública do Estado Ceará. 
61. Manoel de Castro Carneiro – Aposentado, formado em computação de Sobral/CE
62. Orivaldo Lopes Júnior – Igreja Batista Peregrina de Natal/RN
63. Francisco Chagas da Silva – Negro, nordestino e pastor da Igreja Betesda, Conjunto Ceará/CE
64. Pe. Francisco Helton Rodrigues Melo – Pároco da Paróquia Senhor do Bonfim, Crateús/CE.
65. Padre Nery Souza – PUC/SP
66. Anderson Garcez de Lima – Pastor da Igreja Betesda, Vila da Flores, Fortaleza/CE
67. Pe. Paulo Joanil da Silva – Coordenador da CPT/PA – Belém. 
68. Maria Cybelle Oliveira Garcez – Estudante de psicológica. 
69. Morgiana Aparecida Monte de Souza – Assistente social, Sobral/CE
70. Francisco de Aquino Júnior - Padre e professor, Limoeiro do Norte /CE
71. Pe. Ermanno Allegri – Paróquia São João Paulo II e do Movimento Fé Política do Ceará.
72. Ana Rita Marcelo de Castro – Movimento Feminista de Goiânia.
73. Alberto Faleiros – Docente na Faculdade Metropolitana de Anápolis – FAMA/Vice-presidente do Sindicato dos professores da Rede Privada – Simpror. 
74. Pe. Francisco Maurício Lopes da Silva – Paróquia de N. Senhora das Graças e São Pedro, Tabuba/Caucaia/CE
75. Daniel Dourado – Ecumênico, Salvador/BA
76. Antônio Jardesson Galvão de Mesquita – Assessor da Pastoral da Juventude de Reriutaba.
77. Karlos Ruan Barbosa Freire – Ex-coordenador diocesano da Pastoral da Juventude de Sobral.
78. Izaías Alves do Nascimento – Pastor da Igreja Betesda, Sítio São João, Jangurussu – Fortaleza/CE
79. Célia Aderaldo Mendonça – Pastora da Igreja Betesda Barra do Ceará. 
80. Leonardo Farias Cruz – Pastor da Igreja Betesda em Itaperi, Fortaleza/CE
81. Geny Rodrigues Cunha de Queiroz – Pedagoga, Funcionária Pública Federal e Membro da Igreja Betesda de Sobral/CE
82. Saulo Cunha de Queiroz – Docente da Universidade Federal do Ceará, Sobral/CE
83. Paulo Maurício Gonçalves Barbosa – Cirurgião dentista, Pastor e psicanalista – Igreja Betesda em Messejana, Fortaleza/CE
84. Marcus Aurélio Freitas Martins – Pastor da Igreja Betesda Serviluz, Fortaleza/CE
85. Pe. Marco Passerini Coordenador Pastoral Carcerária do Ceará. 
86. Maria Imeuda Gomes Viana – Bancária aposentada, membro da Igreja Betesda de Sobral/CE
87. Cicero Mendes Viana – Autônomo  de Sobral/CE
88. Marcos Wilson Reale Lemos – Ecumênico, Salvador/BA
89. Maria do Rosário Resende – Docente da Universidade Federal de Goiás. 
90. Paulo Cesar Moreira Santos - Padre da Prelazia de São Félix do Araguaia, MT.
91. Dom Adriano Ciocca Vasino, bispo da Prelazia de São Félix do Araguaia, MT.
92. Pe. Ângelo Altair de Oliveira, Diocese de Guarapuava, cidade de Rio Bonito do Iguaçu - PR.
93. Marcos Antônio Just, padre da Arquidiocese de Curitiba, PR
94. Thiago Valentim Pinto Andrade - Teólogo - Igreja Católica Apostólica Romana/ Agente da CPT Comissão Pastoral da Terra.
95. Frei Anastácio Ribeiro, OFM - Deputado Estadual pela Paraíba e Deputado Federal eleito pra próxima legislatura.
96. Wellington Santos - Pastor Presidente da Igreja Batista do Pinheiro.
97. Heloisa do Amaral - Igreja Batista do Pinheiro e Coordenação NE2.
98. Tânia Maria de Souza - Coordenação CPT NE2.
99. Vánubia Martins de Oliveira - Coordenação CPT NE2.
100. Padre Hermínio Canova - Assessor da CPT NE2
101. Flávio Telles Melo - Professor da Universidade Estadual Vale do Acaraú e mestre em filosofia pela Universidade Estadual do Ceará. Agente voluntário da Comissão Pastoral da Terra  de Sobral – CE
102. Dom Orvandil Moreira Barbosa, Arcebispo Primaz da Igreja Católica Anglicana - Sé Primacial em Goiânia - Goiás.
103. Pastora Nancy Cardoso - Igreja Metodista - Volta Redonda, RJ.
104. Pe. Vileci Basílio Vidal - Membro da CPT da Diocese de Crato e Assessor da Ampliada Nacional das CEBs
105. Antônio Marcelo Lima Oliveira Filho, Pastor da igreja Betesda Jardim Castelão. Fortaleza/CE.
106. Thamila Cristina dos Santos da Silva - Psicóloga UFC Sobral/CE
107. Ariovaldo Lopes Pereira – Docente da Universidade Estadual de Goiás (UEG)
108. Lindsay Borges – Docente da Universidade Federal de Goiás (UFG)
109. Lucivanda Pereira Rocha – Bancária de Goiás. 
110. Pe. Luís Sartorel CEBI Ceará
111. Pe. Moésio Pereira de Souza - Prof. Faculdade católica de Fortaleza.
112. Rafaela Marra Melo - Mestranda em Estudos Literários na UFMG, Poços de Caldas-MG
113. Robson Freitas de Miranda Júnior- Doutorando em História na UFMG, Belo Horizonte – MG
114. Carolina Marra Melo Freiras - Psicóloga, Belo Horizonte- MG
115. Carlos Jardel dos Santos, Jornalista/Blogueiro, Membro da Coordenação da Ampliada Nacional das CEBs 

Nenhum comentário: