quarta-feira, 24 de outubro de 2018

Sexto réu do caso Dandara é condenado a 16 anos de prisão

Júlio César Braga da Costa foi condenado a 16 anos de reclusão pelo homicídio triplamente qualificado contra Dandara dos Santos, inicialmente, em regime fechado. O julgamento ocorreu nesta terça-feira, 23. Ele é o sexto condenado pelo crime que vitimou Dandara, em fevereiro de 2017.

As qualificadoras são motivo torpe, meio cruel e recurso que impossibilitou a defesa da vítima. Foram acolhidas todas as qualificadoras impostas na denúncia do Ministério Público. O júri absolveu Júlio César pelo crime de corrupção de menores.  

A defesa do condenado irá recorrer da decisão no prazo legal de cinco dias.   

Julgamento 

Uma inspetora da Polícia Civil, o irmão de Dandara e um amigo do réu foram ouvidos nesta terça. 

De acordo com o Tribunal de Justiça do Estado do Ceará, a inspetora e o irmão da vítima foram ouvidos como testemunha. Já o amigo do acusado falou como declarante. Foi realizada a tese de acusação e em seguida a tese da defesa. 

A Justiça havia determinado a condução coercitiva da testemunhas e o julgamento começou 16h30min, quase sete horas após o horário previsto. As qualificadoras do réu são o motivo cruel, motivo torpe e recurso que impossibilitou defesa da vítima. Para o promotor, ele deveria cumprir de 14 a 18 anos. 

O promotor de Justiça Marcus Renan Palácio, responsável pela denúncia, diz que o réu foi responsável por dar dois chutes no rosto de Dandara quando a vítima já estava ferida no chão, após o espancamento. Ele também teria ajudado os outros acusados a colocar Dandara no carrinho de mão utilizado para transportar a travesti.   


Redação O POVO Online

Nenhum comentário: